terça-feira, 18 de janeiro de 2022

A solidão

 

Perguntas de que cor se pinta a solidão,
eu não te vou responder,
não sabes, e eu também não,
a solidão não se pinta,
não tem cor,
pois ela poder ter cores ,
e pode também não as ter.

Depende da tua solidão, sabes,
a tua pode ser negra,
mas a de outros pode ser colorida,
depende de quem a tem e de quem a sente,
e como em tudo na vida,
nada é o que parece e não vale a pena,
tentar transverter a solidão de uns, com a tua própria .

Aceita e tenta orientar as cores,
que queres para que te amenizem o dia,
e a solidão__________ a tua apenas,
o resto fica para o sempre,
ou quiçá em viagem permanente.

© Piedade Araújo Sol 2022-01-17
Imagem: Autor Desconhecido

Etiquetas: , ,

terça-feira, 11 de janeiro de 2022

À noite no silêncio dos pássaros

 

O dia vai longo…tão longo e denso,
e é sempre na noite com o silêncio dos pássaros,
e na solidão disfarçada,
que te vejo na saudade que em mim habita,
num canto de memórias amotinadas,
desfocadas, e é com elas que rasgo,
as madrugadas e as transformo em miragens,
utopias cadentes, em torno de mim.
 .
E beijo-te como se fosses,
esse sonho que se evapora,
mas que retorna sempre_________quase sempre.
 .
À noite no silêncio dos pássaros.
 .
© Piedade Araújo Sol 2022-01-08
Imagem : Hayley Roberts

Etiquetas: , ,

terça-feira, 4 de janeiro de 2022

Pai


Fez ontem anos que partiste.

Tantos, que já não os contabilizo.

Eu era tão nova! E tu também, mas, como disse Santo Agostinho e cito:

“A morte não é nada apenas passei para o outro lado do caminho”

Não sei, mas acho que não concordo com esta frase, para mim a morte, é um descalabro, um caos para quem fica aqui no outro lado do caminho ou direi, no outro lado da vida.

Sabes, os barcos continuam a ir ao mar quando conseguem e as gaivotas continuam a sobrevoar quando chegam a terra esperando algum peixe que lhes mate a fome.

Os tempos mudaram desde que te foste, muita coisa que eu gostava que tivesse observado, embora neste momento actual com a pandemia que assolou este mundo desde fins de 2019, por vezes acho que estás melhor desse outro lado.

A saudade de ti, essa, é que cada vez é maior e cada vez mais forte, e embora muitas vezes a tua figura me traga lembranças já um pouco desfocadas, pelo tempo que passou, elas continuam vivas dentro de mim.

Mas desse outro lado, eu sei e sinto que ainda o teu olhar desaba em mim assim como a tua protecção.

Amo-te Pai desde sempre e para sempre.

Até um dia pai, desse outro lado do espelho.

©Piedade Araújo Sol 02-01-2022
Imagem : Inês Rehberger

Etiquetas: ,

sexta-feira, 31 de dezembro de 2021

ANO NOVO

Adeus 2021 e Viva 2022

Mais um ano prestes a findar, para dar lugar a outro a que se chama o ANO NOVO.

Quero agradecer muito sensibilizada a todos os que ao longo deste ano visitaram o Maresias.

Agradeço também todos os comentários, ou e em falta deles endereço a quem por algum motivo deixou por aqui a sua pegada.

Sem mais palavras aqui fica a minha a minha gratidão.

Muito obrigada a todos.

©Piedade Araújo Sol

Etiquetas:

terça-feira, 28 de dezembro de 2021

Um olhar

De um olhar
Fiz um poema
De um poema
Uma canção
E com uma clave
Fiz a música
E o poema 
Virou parte
De mim
Gotas de luz
Abrangendo a cor
De um olhar
Escondido num poema..
.

©Piedade Araújo Sol  2005-11-03
Imagem Annegien Schilling

Etiquetas: , ,

terça-feira, 21 de dezembro de 2021

Por ti


Por ti
Fiz um circo da minha vida
Onde fui trapezista sem rede
Malabarista e por vezes palhaço

Por ti
Fui mulher criança
Fui noite em branco
Fui alvorada sem manhã

Por ti
Aceitei a mentira como verdade
E fechei os olhos aos factos
Me enganando permanentemente

Por ti
Fui ilha perdida no oceano
Onde tu pobre náufrago
Nunca vieste aportar

.

©Piedade Araújo Sol  2005-02-26 
Imagem : Hayley Roberts

Etiquetas: , ,

sábado, 18 de dezembro de 2021

Requiescat in pace

 

Em memória da Goretti

Hoje a tristeza são lâminas de nostalgia
Vertidas em silêncio na notícia que o dia me traz.

A partir de hoje o mar terá mais lágrimas mescladas
De mágoa e saudade nas suas águas salgadas.

A despedida despenteada nas maresias
Lembrará sempre o eco do teu nome.

E quiçá hoje o céu ganhou mais uma estrela!
© Piedade Araújo Sol 2021-12-18

Etiquetas:

terça-feira, 14 de dezembro de 2021

cores

A minha cor
é o azul
é com ela que retrato
o céu
o mar
é nos azuis
que quero acordar
e
neles me perder
nos meus
azuis...

©Piedade Araújo Sol 28 outubro, 2005
Imagem : Christine Vleugels

Etiquetas: , ,

terça-feira, 7 de dezembro de 2021

Tem dias


Tem dias que a casa se abre com ansiedade,
quando o sol desponta,
e ilumina as paredes brancas,
com a sua luz crua e morna.

É hora de desligar a noite,
e sair da letargia que o corpo se impõe,
num despertar acossado,
mas necessário e terapêutico.

E é a esse novo dia que tenho de agradecer
e se o meu suspiro não se ouve,
o meu olfacto aguçado ainda pressente,
que a casa ainda mantém o teu perfume.

©Piedade Araújo Sol 2021-12-06
Imagem : Ruslan Bolgov

Etiquetas: , ,

terça-feira, 30 de novembro de 2021

Apenas palavras

As palavras podem ser leves e afáveis,
embora também possam ser pesadas,
sem ternuras, mas verdadeiras,
e nalguns casos como mentiras piedosas.

Podem ter um peso gigante,
para quem as escuta,
e serem apenas lamentos,
para quem as reproduz.

Eu gosto das palavras,
as sinceras, que instruem,
rudes que repreendem e orientam,
ternas que nos aconchegam,
obedecendo ao momento.

Porque,
palavras são os caminhos que nos conduzem,
a dialogar e a aprender,
mesmo quando a luz é escuridão,
e que a esperança é apenas a redenção.

©Piedade Araújo Sol 2021-11-29
Imagem : Annegien Schilling

Etiquetas: , ,

terça-feira, 23 de novembro de 2021

Sonhar

São estados de alma
que nos levam a colorir a vida
com a fantasia.

Um olhar que nem era para nós
mas que o preservamos
entranhado de emoção.

E num beijo acetinado
e num abraço apertado
com a veemência do sentir

E o repousar de todas os sobressaltos.

©Piedade Araújo Sol 2021-11-22
Imagem : Duong Quoc Dinh

Etiquetas: , ,

terça-feira, 16 de novembro de 2021

A Linha do Tempo

 

Será que eu transgredi o que sobreviveu
e nos pseudo ressalvados
ainda transmito para as telas
com as minhas mãos sujas de tinta
quando pinto a tua boca
e o teu corpo nu em telas abstractas
que depois escondo nas águas furtadas.

Será que as imagens amparadas
pelo meu olhar, são do presente
ou resquícios do passado
que tacteio nas noites de insónia.

E se na linha do tempo, do nosso tempo
as sombras que a noite me traz
na estação das folhas caídas
e das árvores nuas na praça
as estrelas emitem uma luz
que me envias e eu não vejo
ou não quero ver.

Numa sinuosidade imprevista
eramos dois em apenas um
isso existiu, e ficou no passado
no meu e no teu também
que talvez (?) não queiras recordar.

Ou talvez também nenhum de nós
queira ainda esquecer.

©Piedade Araújo Sol 2021-11-08
Imagem : Erika Hopper

Etiquetas: , ,

terça-feira, 9 de novembro de 2021

momento

Passou por mim
a esvoaçar
num ceu imenso
azul
e
escorreu sobre mim
um eco de
um sorriso...


Autor : ©Piedade Araújo Sol  04 novembro, 2005
Imagem : Ruslan Blogov

Etiquetas: , ,

terça-feira, 2 de novembro de 2021

definições do abstracto da dor


ou se quiserem da mágoa que se entranha
em nós como uma escultura
ou um esquisso a branco e negro
manchada, por breves fluídos de cores suaves
desmaiadas na origem da cor
ou da estação outonal
em cada alvorecer .

pingos de nuvens como se fossem lágrimas
em tonalidades de cores neutras
como as folhas tombadas neste chão
que piso e repiso no inverso deste trilho
enquanto o olhar se perde no vácuo
do momento, ou do esquecimento inevitável
no abstracto da dor entranhada.

Autor : ©Piedade Araújo Sol 2021-11-02
Imagem : Duongo Quoc

Etiquetas: , ,

terça-feira, 26 de outubro de 2021

Quimera


Às vezes gostava de não ter passado, nem futuro,
e simplesmente congelar-me no presente.
Rasgar céus, sobrevoar as nuvens
estreitar os seus flocos, fazer fios de algodão doce
derreter em minhas mãos açúcar
e sentir o cheiro de caramelo quente.

Às vezes gostava de ser um rio
e seguir esbarrando pelas pedras
e inventar peixes que me pressentiam
rio em corrida desenfreada para a foz
e ser mar e sal, estirado
em cima da areia amarela e morna.

Mas todos temos passado
que gostamos de relembrar ou não
existe além de nós, existiu
desigual ou análogo para todos
não podemos fugir ao nosso destino
que não escolhemos mas é o nosso.

E por vezes
quase que me deslembro
deste oásis que busco e encontro
nestes fiapos de ilusões, que constroem
a fome e a sede, e perduram
caindo em cascata na minha utopia.

©Piedade Araújo Sol 2021-10-25
Imagem : Tina Spratt

Etiquetas: , ,