quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Em Janeiro



Em Janeiro
com o frio a infiltrar-se nos ossos
Lisboa não cabia nos teus olhos
quando te perdias pelas ruelas desconhecidas
e a ansiedade te invadia
o rosto incendiado de ternura.

Quando olhavas para as montras
e ajeitavas os cabelos de chuva
descaídos pelas costas
não sei que imaginavas
quando com o meu casaco
te cobria o corpo franzino a tiritar.

Os teus sonhos talvez fossem
os barcos que navegavam no Tejo
e as tuas mãos que entrelaçavas nas minhas
nas noites em que cintilavam estrelas que eu nem via
e tu sorrias calada.

Eu não sabia -ainda - que em ti existiam
sabores de sentimentos ocultos
e um sorriso de sal e algas tão grande
que sobrevive no tempo e nos teus olhos,
e que no teu ser os afectos estão entranhados nos ossos.

São eternos como os barcos do Tejo.

© Piedade Araújo Sol 2012-01-23

Foto: Peter Smith

(Reeditado primeira publicação em 2012-01-24)

24 Comentários:

Blogger Braulio Pereira disse...

ai.que lindo

deste-me vida ao amanhecer

fiquei com os ossos rijos!!



beijos em ti!!

terça-feira, 24 janeiro, 2012  
Blogger cycle disse...

Belo!

terça-feira, 24 janeiro, 2012  
Blogger heretico disse...

que belo encontro de mãos, nas ruelas de Lisboa.

gostei muito do poema.

beijo

terça-feira, 24 janeiro, 2012  
Blogger Canto da Boca disse...

A eternidade é um lugar que fica. Mesmo quando tudo e todos se foram...

quarta-feira, 25 janeiro, 2012  
Blogger Luis Eme disse...

belo mesmo, que excelente momento de inspiração.

beijinho Piedade

quarta-feira, 25 janeiro, 2012  
Blogger Marta disse...

E esses momentos são sempre eternos...
Estão sempre presentes, no frio, no calor, na verdade da memória...
Lindo...
Obrigada pela visita...
Beijos e abraços
Marta

quarta-feira, 25 janeiro, 2012  
Blogger Eduardo Aleixo disse...

lindo o barco. lindas as águas do Tejo. linda a gaivota. lindo o poema cheio de nostalgia.
Um abraço

quarta-feira, 25 janeiro, 2012  
Blogger Isa Lisboa disse...

"Os teus sonhos talvez fossem os barcos que navegavam no Tejo"... Gostei muito desta imagem! E de todo o poema :)

quarta-feira, 25 janeiro, 2012  
Blogger Canto da Boca disse...

Piedade, retorno ao poema, porque ele ficou espargindo em mim, como as águas do Tejo, nos barcos que o navegam...Ora eu vejo o olhar acuidoso de alguém que está mesmo atento a todos os movimentos (eu diria aos seus, porque eu tenho uma sensação de pessoalidade muito grande no poema, estou equivocada?); ora percebo um rasgo profundo de saudades, causado pela (tua) ausência, ou pelo distanciamento de ambos (?), como se em algum momento da vida, ela tivesse interrompido esse encontro (de almas), um grande amor, que ambos sentiam, e ficou eternizado nos gestos, e no que viveram. Perdão pela invasão, mas tenho uma impressão de que foste a inspiração desse belo poema...

quarta-feira, 25 janeiro, 2012  
Blogger mfc disse...

Gostei muito desta forma de escreveres no masculino!
Conseguiste colocares-te do outro lado de uma forma muito bonita...!

quarta-feira, 25 janeiro, 2012  
Blogger A.S. disse...

Pi...

Lindo o teu poema! Sim... são eternos os barcos do Tejo!...


Beijos,
AL

quinta-feira, 26 janeiro, 2012  
Blogger BRANCAMAR disse...

Piedade,

Todo este poema me deslumbrou e terminou da melhor maneira.

Gosto tanto dessas pessoas cujo ser é feito de afectos entranhados até aos ossos.

Beijinhos para ti.
Branca

sexta-feira, 27 janeiro, 2012  
Blogger BlueShell disse...

Os sonhos...serem os barcos...que imagem linda como todo o poema...lindo...

Agradeço a presença em momento de tanta dor: não esquecerei que estiveste comigo.
BS

sábado, 28 janeiro, 2012  
Blogger . intemporal . disse...

.

.

. bel.íssima a palavra que nos traz Lisboa e o Seu rio . ao desafio entre a natureza humana e a virtude dos afectos .

.

. um bom domingo .

.

. um beijo meu .

.

.

domingo, 29 janeiro, 2012  
Blogger ONG ALERTA disse...

Encantador...
Abraço Lisette.

domingo, 29 janeiro, 2012  
Blogger Nilson Barcelli disse...

Magnífico poema, como sempre.
Gostei imenso.
Piedade, querida amiga, tem uma boa semana.
Beijo.

domingo, 29 janeiro, 2012  
Blogger vieira calado disse...

Eu diria...

ternos como os barcos do Tejo!


Beijinhos!

segunda-feira, 30 janeiro, 2012  
Blogger Teresa Durães disse...

belíssimo!

segunda-feira, 30 janeiro, 2012  
Blogger Mar Arável disse...

Na verdade na memória das fragatas das faluas dos cacilheiros dos botes e dos varinos

voejamos

segunda-feira, 30 janeiro, 2012  
Blogger Mariana disse...

Tão bonito.. e a fotografia condiz na perfeição!

Miss Tangerine, passa lá :)

sexta-feira, 03 fevereiro, 2012  
Blogger manuela baptista disse...

em janeiro Lisboa

e

muito belo, Pi!

segunda-feira, 06 fevereiro, 2012  
Blogger Margarida Costa disse...

Belo poema. Bela foto. Belo Janeiro... embora frio! :)
Beijinho

segunda-feira, 06 fevereiro, 2012  
Blogger Leslie disse...

love the peaceful scene here, and the capture of the boat's mirrored reflection is wonderful.

terça-feira, 21 fevereiro, 2012  
Blogger Leslie disse...

p.s. would you consider adding a translation tool to your blog, so we could read it in our native language? Google has a nice translator gadget for Blogger...

terça-feira, 21 fevereiro, 2012  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial