terça-feira, 23 de outubro de 2012

Eu escrevo insónia





Dizias que eu, quando me sentia triste, ia para casa
e escrevia um poema.
Mas eu faço poemas mesmo quando não estou triste,
escrevo apenas palavras que brotam de mim
e que ficam ali no papel,
apenas isso. Amanhã, nem eu própria nem ninguém
se lembrará mais delas, das palavras.
.
Eu escrevo insónia e ninguém entende.
E não há motivo aparente para entender.
E se me apetece ligar para ti, não o faço
porque não tenho nada para te dizer,
era só para ouvir a tua voz, mas tu nem irias atender,
porque estás atulhado em trabalho e eu sei que
é verdade, sei, mas não sei se sei aquilo que penso que sei,
porque eu escrevo insónia, e é só uma palavra.
.
Todas as noites antes de adormecer eu escrevo um SMS,
mas não te envio. Leio e depois apago.
Eu sei que tu dirias que não tinhas tempo de ler
E que isso são coisas de putos
E eu volto a escrever insónia.
.
Ninguém sabe que a noite pode não ser igual para todos,
pode ser terrível
de onde saem todos os espectros que nos assolam e
nos transmitem medo.
.
Eu escrevo medo e ninguém tem medo.
Ninguém tem medo do meu medo.
Ninguém quer saber a cor do medo e afinal sou só eu
que tenho medo,
que desfio as cores complicadas que ele emite.

E de que serve escrever insónia?!
Ninguém se lembra…
Ninguém tem medo das palavras que não mostro…


© Piedade Araújo Sol 2012-10-22

Foto : Punczek

    38 Comentários:

    Blogger Rita Freitas disse...

    Sim, a noite pode trazer os fantasmas que habitam o nosso espírito, que as insónias não deixam calar.

    Muito intenso este poema, gostei imenso.

    Beijinhos

    segunda-feira, 22 outubro, 2012  
    Blogger Luis Eme disse...

    serve pata ti, as palavras ajudam a libertar-te da insónia e do medo.

    beijinhos Pi

    segunda-feira, 22 outubro, 2012  
    Blogger O Árabe disse...

    Talvez, Piedade... mas as palavras nos ajudam a lidar com a insônia que existe em todos nós. Boa semana!

    segunda-feira, 22 outubro, 2012  
    Blogger Mar Arável disse...

    Noites claras

    segunda-feira, 22 outubro, 2012  
    Blogger Ana Oliveira disse...



    A terrível adultez lúcida quando tudo o que se deseja é ter a inocência de acreditar que as palavras ainda têm eco... e que o "medo" e a "insonia" acabam num afago...

    Beijo Piedade

    segunda-feira, 22 outubro, 2012  
    Blogger SOL da Esteva disse...

    "[...] Ninguém tem medo das palavras que não mostro..."
    Não vislumbro que as palavras mostradas por quem ama sejam entendidas pelo meio da distância.
    A Poesia é a expressão sentida pelo Poeta, destinada a algo ou alguém que interpretará tão somente o que lhe cai no sentimento.
    Isso, sim, é Poesia, como a que te nasce tão fluidamente.



    Beijos


    SOL

    segunda-feira, 22 outubro, 2012  
    Blogger Lídia Borges disse...


    Silaba a sílaba, sobre a poeira das estrelas que não brilham.

    Um beijo

    segunda-feira, 22 outubro, 2012  
    Blogger Everson Russo disse...

    É bem por ai,,,o poema nasce de tudo,,,nem só da tristeza,,,de todas as cores e falta delas na vida....beijos e uma bela tarde pra ti...

    segunda-feira, 22 outubro, 2012  
    Blogger Ana Mestre disse...

    Parece que á noite, todas as palavras mesmo aquelas que calamos, nos tomam conta do espírito e da alma.

    Muito bonito, como tudo aquilo que escreves.

    Beijinho

    segunda-feira, 22 outubro, 2012  
    Blogger Smareis disse...

    Oi Piedade,

    As palavras por vezes nos libertam do sofrimento, e dos medos.
    Profundo seu poema.

    Beijos e ótima semana

    segunda-feira, 22 outubro, 2012  
    Blogger manuela baptista disse...

    eu tenho medo das palavras não mostradas

    um beijo

    segunda-feira, 22 outubro, 2012  
    Blogger CamilaSB disse...

    Insónia... uma palavra pequena, mas que encerra o poder de um imenso desassossego...
    O medo tem a cor da noite e, a noite, é aliada de muitos medos...
    Bem-haja pelo carinho querida amiga Piedade, deixo-lhe um grande abraço e o meu sorriso :)
    As palavras que brotam de si são sempre lindas e cheias de poesia!
    Boa noite e tenha uma semana muito feliz!

    segunda-feira, 22 outubro, 2012  
    Blogger Marta disse...

    Mas elas estão lá...
    Na nossa insónia...nos fantasmas que adoram a noite, porque se sentem livres e reclamar o tempo....
    Lindo...
    Obrigada pela visita
    Beijos e abraços
    Marta

    terça-feira, 23 outubro, 2012  
    Blogger Everson Russo disse...

    Uma linda noite pra ti minha amiga querida e uma excelente quarta feira...beijos poemas e flores sempre...

    terça-feira, 23 outubro, 2012  
    Blogger luna luna disse...

    a vida só por si já é uma insónia e quando os fantasmas atacam as noites ficam insuportáveis
    beijinhos

    terça-feira, 23 outubro, 2012  
    Blogger heretico disse...

    as palavras ganham asas e voam. sempre...

    ... sabe-se lá a que estranhas insónias vão bater! e a redimir...

    gostei. muito.

    beijo

    terça-feira, 23 outubro, 2012  
    Blogger *Escritora de Artes* disse...

    Olá cara amiga,

    Escreva seus medos, insônias, seja lá o que for, o importante é colocar pra fora o que assola seu coração...

    Saiba, é um prazer te ler...

    Bjos

    quarta-feira, 24 outubro, 2012  
    Blogger Silenciosamente ouvindo... disse...

    Pois é as palavras não mostradas...
    marcam mais, magoam mais...
    Um beijinho
    Irene Alves

    quarta-feira, 24 outubro, 2012  
    Blogger AC disse...

    Um poema que me fascinou.
    Parabéns, Piedade!

    quarta-feira, 24 outubro, 2012  
    Blogger Gaby Soncini disse...

    Que poema ótimo!

    É realmente um prazer ler!

    Beijos!

    quarta-feira, 24 outubro, 2012  
    Blogger Filipe Campos Melo disse...

    Temo medo meu
    enquanto a insónia se faz verso teu

    Bjo

    quinta-feira, 25 outubro, 2012  
    Blogger Sonhadora (RosaMaria) disse...

    Minha querida

    E como as insónias das longas noites nos escrevem e se descrevem.
    Como sei dessas noites que doiem na alma e no corpo.

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    sexta-feira, 26 outubro, 2012  
    Blogger Isa Lisboa disse...

    Adorei essa ideia de escreveres insónia...!
    Talvez todos as escrevamos, mesmo que não em papel. E depois há palavras que passam quando o sono vem, outras que teima em ficar ao acordar...
    Obrigada por este poema!
    Beijos

    sexta-feira, 26 outubro, 2012  
    Blogger Everson Russo disse...

    Uma bela noite de sábado pra ti amiga....beijos.

    sábado, 27 outubro, 2012  
    Blogger Everson Russo disse...

    Um belo domingo e uma semana repleta de paz e muitas poesias pra ti minha amiga...beijos e flores...

    domingo, 28 outubro, 2012  
    Blogger Delfim Peixoto disse...

    Noites que acordam os sentidos... poemas que nos acordam para aspalavras que não escreves mas transparecem nas tuas linhas. Beijo

    domingo, 28 outubro, 2012  
    Blogger Delfim Peixoto disse...

    Noites de insónias. em que os medos aparecem... palavras que não escreves mas que transpiram nas linhas em que te lemos.
    Beijo

    domingo, 28 outubro, 2012  
    Blogger Rogério Pereira disse...

    Há medos que são só nossos...

    domingo, 28 outubro, 2012  
    Blogger Vítor Fernandes disse...

    Como eu amaria escrever poemas assim- Com ou sem medo.

    domingo, 28 outubro, 2012  
    Blogger MARILENE disse...

    Nossos medos, nossos fantasmas... Uma parte de nós que nem sempre é dividida. Guardamos, com receio do que vai provocar, ou de não provocar o que esperávamos. Bjs.

    domingo, 28 outubro, 2012  
    Blogger Virgínia do Carmo disse...

    Transparente como a insónia. Um grito que nos atravessa. simples. às vezes uma palavras é tanto.

    Beijinhos, Piedade.

    domingo, 28 outubro, 2012  
    Anonymous Anónimo disse...

    Poeta versos mui belos
    depois passo para poetar
    teus belos verso
    passe no meu blog tem um presente
    pra você.

    Luiz Alfredo - poeta

    domingo, 28 outubro, 2012  
    Blogger Angela disse...

    Escreves muito bem.
    Bjs

    segunda-feira, 29 outubro, 2012  
    Blogger © Piedade Araújo Sol disse...

    olá Angela

    não tenho acesso ao seu blogue.

    obrigada!

    terça-feira, 30 outubro, 2012  
    Blogger Canto da Boca disse...

    Algumas insônias são mais perigosas que as palavras, que saem por aí, provocando, sacudindo, devastando e transformando tudo em poesia, como bem sabes fazer.

    Beijos, Pi!

    quarta-feira, 31 outubro, 2012  
    Blogger Rosa Brava disse...


    Alexandre O'Neill dizia no seu poema:

    "Há palavras que nos beijam
    Como se tivessem boca.
    Palavras de amor, de esperança,
    De imenso amor, de esperança louca.

    Palavras nuas que beijas
    Quando a noite perde o rosto;
    Palavras que se recusam
    Aos muros do teu desgosto.

    De repente coloridas
    Entre palavras sem cor,
    Esperadas inesperadas
    Como a poesia ou o amor.

    (O nome de quem se ama
    Letra a letra revelado
    No mármore distraído
    No papel abandonado)

    Palavras que nos transportam
    Aonde a noite é mais forte,
    Ao silêncio dos amantes
    Abraçados contra a morte."

    Ao ler este teu, tão sentido, texto veio-me à memória o corpo daquele poema e vi-te nele, assim numa noite de insónia, revirando palavras dentro da tua cabeça, deixando a noite entrar dentro dos teus sonhos e com ela escreveres o que te vai na alma.

    Como eu entendo as tuas noites de insónias...

    Belo e sentido texto que gostei muito de ler, Pi.

    Um grande beijo e mil felicidades.

    sexta-feira, 02 novembro, 2012  
    Blogger Parapeito disse...

    Ai as palavras...
    "Quem as escuta? Quem
    as recolhe, assim,
    cruéis, desfeitas,
    nas suas conchas puras?"
    E.A.
    brisas doces *

    sábado, 03 novembro, 2012  
    Blogger Paula Raposo disse...

    Identifiquei-me completamente! Beijos.

    quinta-feira, 08 novembro, 2012  

    Enviar um comentário

    Subscrever Enviar comentários [Atom]

    << Página inicial