terça-feira, 26 de abril de 2011

eram tão jovens


eram tão jovens.   ainda tão jovens.  em cada dedo traziam um sonho na velocidade das palavras.   apenas palavras.   traziam em cada dedo cravos rubros,  que se perderam no tempo.   no destempo de outro tempo sem tempo.   era abril dum ano, um outro ano,do ano em que em cada dedo traziam um sonho silente.

sonhos destapados
cravos amputados
cravos em sangue
em mágoa
em raiva
abril de cores desbotado
correndo
célere em precipícios cavados, encontrados
sonhos moribundos

lunáticos - talvez.


eram potros selvagens
eram tão jovens, ainda tão jovens.
.
Foto:Jaronimo

24 Comentários:

Blogger O Árabe disse...

Jovens... selvagens, talvez, por excelência. :) Desejo que a tua Páscoa tenha sido de paz, e tenhas uma boa semana!

segunda-feira, 25 abril, 2011  
Blogger Multiolhares disse...

olho os cravos de Abril e sinto que alguns os estão a deixar murchar
bjs

segunda-feira, 25 abril, 2011  
Blogger mfc disse...

Ainda acredito. Ainda tenho sonhos. Ainda quero Abril de novo juntamente com os muitos sorrisos que tinha nessa altura!

segunda-feira, 25 abril, 2011  
Blogger Maria disse...

Eu acredito! Sempre!
Porque é o que me faz mover e viver!
E hoje no Desfile havia muitos jovens a garantir a continuidade da defesa dos valores de Abril.

segunda-feira, 25 abril, 2011  
Blogger sonho disse...

Acreditar sempre...por dias melhores...
Beijo d'anjo

segunda-feira, 25 abril, 2011  
Blogger Canto Turdus Merula disse...

nas manhãs por vir
em mil dedos quero abrir
as almas primaveril
o rubro sonho de Abril.

Abraço, Piedade.

segunda-feira, 25 abril, 2011  
Blogger Vieira Calado disse...

E os jovens de hoje?

Onde estão os seus ideais de solidariedade, justiça, fraternidade?

A mim, está a ser difícil encontrá-los...

Saudações democráticas!

terça-feira, 26 abril, 2011  
Blogger tb disse...

A juventude com toda a força e emoção e desejo de liberdade.
Que os cravos sejam sempre vivos!
beijinhos.

terça-feira, 26 abril, 2011  
Blogger Érico Cordeiro disse...

Oi, Piedade,
O cravos de abril ainda exalam o cheiro da liberdade, não é mesmo?
Gostaria de convidar você e seus leitores para as comemorações dos dois anos do blog Jazz + Bossa + Baratos Outros:
www.ericocordeiro.blogspot.com
Um fraterno abraço!

terça-feira, 26 abril, 2011  
Blogger manuela baptista disse...

tão jovens eram

que destempo
se não encontrarmos abril em cada tempo...



o seu poema é comovente! como um cavalo alado em busca da pradaria

um beijo

manuela

terça-feira, 26 abril, 2011  
Blogger d'Alma disse...

Mas... uma papoila?!!!!!!!... Às tantas, corresponderia mais à verdade, mesmo que destas... nem vestígios de ópio, só frágeis pétalas que se vão enquanto o diabo esfrega um olho!... Que raio de cravo tão esquisito!!!!...


Abraço

terça-feira, 26 abril, 2011  
Blogger Constantino, Guardador de Vacas disse...

É tão lindo este poema a fazer-me viajar no tempo até ao tempo dos sonhos e do cravo numa mão e num sorriso de esperança.

terça-feira, 26 abril, 2011  
Blogger Licínia Quitério disse...

Tocante, Amiga. Obrigada.

quarta-feira, 27 abril, 2011  
Blogger Virgínia do Carmo disse...

Comovente como um lamento.
Lancinante como um grito.

Gostei imenso.

Beijinho, Piedade

quarta-feira, 27 abril, 2011  
Blogger Daniel Aladiah disse...

Querida Pi
Imagino que fales de quem partiu cedo de mais, em Abril... escolhas ou destinos que não compreendemos.
Um beijo
Daniel

quarta-feira, 27 abril, 2011  
Blogger Sonhadora disse...

Minha querida

Um silêncio gritado...um Abril por cumprir e um conformismo sem medida.

Deixo um beijinho
Sonhadora

quinta-feira, 28 abril, 2011  
Blogger Luis Eme disse...

jovens, selvagens, mas sonhadores...

beijinho Piedade

quinta-feira, 28 abril, 2011  
Blogger Graça Pires disse...

Não podemos deixar murchar os cravos para podermos dá-los aos nossos jovens. Eles precisam deles. Um belo poema.
Beijos.

sexta-feira, 29 abril, 2011  
Blogger Filoxera disse...

E continuará a haver jovens e ideais e cravos viçosos.
Beijinho.

sábado, 30 abril, 2011  
Blogger Marta disse...

Sonhos em nada lunáticos; sempre jovens.....
Porque enquanto houver sonhos....nada morre....
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

domingo, 01 maio, 2011  
Blogger O Árabe disse...

Aguardo o próximo post, amiga. Boa semana!

segunda-feira, 02 maio, 2011  
Blogger Mar Arável disse...

Pelo sonho é que vamos

segunda-feira, 02 maio, 2011  
Blogger Nilson Barcelli disse...

O povo estava cansado do jugo... acolheu os "lunáticos" de braços abertos e cravos ao peito.
O teu poema é diferente do que é habitual ver-se. E é muitíssimo bom, excelente. Gostei imenso, querida amiga Pi.
Beijos e boa semana.

segunda-feira, 02 maio, 2011  
Blogger epee disse...

Abril... passado presente... no poema que aconchega versos e marca os traços tão presentes do passado... que não é recente.

¬
Feliz Maio.

terça-feira, 03 maio, 2011  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial