terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Eu sei que sempre...


Eu sei que sempre te vou escrever ao terminar o dia, sossegada, quando o corpo cansado já não tiver forças para mais nada, a não ser a necessidade de falar para o papel, mesmo que eu saiba que tu nunca irás ler.

Sei que sigo sempre este trilho, como que guiada através da luz que emanas do teu olhar e que eu retenho em mim. Guio-me pelo aroma dos nardos que deixaste pelos lugares que ambos partilhámos.

E sei que quando os teus lábios procurarem outra boca que não é a minha, lembrarás sempre o sabor dos beijos que trocámos com o inconfundível sabor a romãs.

Sei que nunca dirás a ninguém “amo-te”, porque essa palavra já deixou de fazer parte do teu vocabulário, e se eu um dia voltar a dizer “amo-te”, será o vento que a ouvirá e tu pensarás que é do vento e não para ti.

Sei que quando a lembrança te for penosa, afastá-la-ás como um sonho mau do passado. E quando o canto das aves te lembrar a letra de um qualquer poema (meu) que falava muitas vezes das gaivotas e do mar, tu irás conduzir na marginal e só pararás no final do pontão da praia,e com o som do carro o mais alto possível, ficarás a trautear canções que te dizem muito e que para mim são apenas canções. E quando voltares para casa, adormecerás tranquilamente. No dia seguinte, acordarás calmo e feliz.

Eu sei que sempre te vou escrever ao terminar o dia e, ao acordares, talvez um dia (quem sabe?) leias o que te escrevo.

27 Comentários:

Blogger Flavio disse...

Espero que assim seja, amiga. O que escreves bem merece ser lido! Boa semana.

terça-feira, 05 janeiro, 2010  
Blogger O Árabe disse...

Espero que assim seja, amiga. O que escreves bem merece ser lido! Boa semana.

terça-feira, 05 janeiro, 2010  
Blogger Paula Raposo disse...

É com o sabor de romãs que tudo é possível.
Gostei de te ler.
Muitos beijos. Bom ano.

terça-feira, 05 janeiro, 2010  
Blogger Nilson Barcelli disse...

O que escreveu, no fundo, é uma bela carta de amor.
Que se poderá reatar a qualquer momento...
Gostei imenso, querida amiga.
Boa semana, beijos.

terça-feira, 05 janeiro, 2010  
Blogger heretico disse...

bravíssimas. as "mulheres de Atenas". que assim amam. e sofrem...

beijo

terça-feira, 05 janeiro, 2010  
Blogger alice disse...

uma bonita carta, piedade, talvez por uns tempos guardada do seu destinatário, ou talvez um dia, ao terminar ou ao amanhecer, chegue. um grande beijinho e renovados votos de bom ano*

terça-feira, 05 janeiro, 2010  
Blogger BlueShell disse...

O rei vai nu! Estou em guerra!

BlueShell

terça-feira, 05 janeiro, 2010  
Blogger Teresa Durães disse...

quantas vezes fiz o mesmo.

quarta-feira, 06 janeiro, 2010  
Blogger O Micróbio II disse...

Bom, eu leio... :-)

quarta-feira, 06 janeiro, 2010  
Blogger Eduardo Aleixo disse...

É um lindo poema~com nardos e bagos de romãs.
E vêm os Magos, Reis, e lêem o poema e dizem:
- poemas assim fazem lembrar a deusa, como se chama, Gasoar?
- Aquela linda, ninfa misteriosa da praia?..
- Sim, a que faz desafiar os vendavais...
E lá foram os Magos, apaixonados!...
----------
Belo poema, amiga.

quarta-feira, 06 janeiro, 2010  
Blogger maré disse...

tantas vezes escrevemos para o vento.
_não é ele o caminho mais veloz para qualquer fuga?

um beijo
muito obrigada

quarta-feira, 06 janeiro, 2010  
Blogger Maria Clarinda disse...

(...)Sei que nunca dirás a ninguém “amo-te”, porque essa palavra já deixou de fazer parte do teu vocabulário, e se eu um dia voltar a dizer “amo-te”, será o vento que a ouvirá e tu pensarás que é do vento e não para ti.


Lindo o teu post ...
Jinhos mil

quinta-feira, 07 janeiro, 2010  
Blogger Graça Pires disse...

Escrever até que o aroma dos nardos se espalhe por toda a parte.
Belíssimo texto, Piedade.
Um beijo.

quinta-feira, 07 janeiro, 2010  
Blogger A.S. disse...

Querida Pi...

As palavras tão amorosas que escreves, não podem ficar retidas numa gaveta de recordações!
Talvez haja alguém que as espere ansiosamente, com a saudade no peito e a sede nos lábios!

Beijos...
AL

quinta-feira, 07 janeiro, 2010  
Blogger Maripa disse...

Podem ser apenas palavras...mas são ricas de ternura, ternura que mora nas lembranças...e há uma pontinha de esperança no final.

Lindo texto,querida Pi.

Beijo amigo e o meu carinho.

sexta-feira, 08 janeiro, 2010  
Blogger jorge vicente disse...

e eu li. e senti. e escrevo-te palavras de mar.

grande abraço
jorge

sexta-feira, 08 janeiro, 2010  
Blogger Pena disse...

Maravilhosa Poetiza Amiga:
Um poema muito belo onde cabem um pouco de nostalgia, desilusão, recordação e esperança.
Profundo. Intenso de emoções e uma sensibilidade de sonho.
Fantástico. Adorei, brilhante poetiza.
Beijinhos de uma amizade pura e que a respeita.
Sempre a admirar a sua poesia extraordinária e perfeita.

pena

MUITO OBRIGADO pela sua amizade constante.
É recíproca, sabe?
É um Ser Humano precioso e de bem.

sábado, 09 janeiro, 2010  
Blogger bonecadetrapos disse...

Seja qual for o registo, a forma escolhida, poesia ou prosa, o certo é que que Piedade de Araújo Sol, tem a capacidade inata de nos tocar. Os seus trabalhos revelam a força intrínseca das marés e a doçura perene das gaivotas esvoaçando por sobre a espuma.

Piedade Araújo Sol, dona de uma obra vastíssima que venho a ler pausadamente, detém o maneio do verbo que, ora se faz estilete, profundo sobre a indiferença e por isso marca toda a diferença, ora se detêm, candente em afagos contemplativos sobre o Universo das coisas e, por essa vida, de igual modo, marca a diferença.

Seja qual for o momento em que a escrita brota de sua pena, Piedade é senhora do verbo, e faz-nos seus prazeirosos vassalos. Razões maiores para que, dia após dia, veja nesta escrita pura arte. E disto lhe deixo aqui, nota.

Excelente 2010, estimada poeta Piedade.
Saudações com elevada estima e admiração

sábado, 09 janeiro, 2010  
Blogger Daniel Aladiah disse...

Querida Pi
Texto lindo do género "para sempre..." e por que não?
Um beijo
Daniel

sábado, 09 janeiro, 2010  
Blogger Arabica disse...

Será que qualquer por do sol na marginal o lembrará de ti?
Será que se sentirá amado, quando ao terminar de um dia (quem sabe?)
um dia te descobrir no peito?

Um beijinho, Piedade.

sábado, 09 janeiro, 2010  
Blogger Chris disse...

É impressionante a forma como escreves, rendilhas as palavras que transportam poesia sublime...
Um beijo e uma excelente semana
Chris

domingo, 10 janeiro, 2010  
Blogger sonho disse...

Esta linda carta de amor...deve ser mostrada a que desejas...lida e relida:)
Beijo d'anjo

domingo, 10 janeiro, 2010  
Blogger O Árabe disse...

Boa semana, amiga. Aguardo o novo post! :)

segunda-feira, 11 janeiro, 2010  
Blogger A.S. disse...

Pi,

Vim reler-te... e rever-te!

Beijos
AL

segunda-feira, 11 janeiro, 2010  
Blogger Parapeito disse...

:) eu acabo sempre por vir até aqui...porque goste de te ler
Dias cheios de brisas mansas
Abraço ruim***
(cá para mim...ele vai ler sim ...)

sábado, 16 janeiro, 2010  
Blogger Pitanga Doce disse...

Vim ver o teu mar.


Também escrevo em altas horas...mas ele lê.

beijos Pi

segunda-feira, 18 janeiro, 2010  
Blogger PAS[Ç]SOS disse...

Na escrita se derrama a incontornável esperança do que não morreu. Por muito que se tenha intenção de esquecer, o que se mantém vivo não se enterra. Enquanto se escreve algo respira e mesmo que se tenha lhe colocado ‘uma pedra por cima’, sob ela manter-se-á o fôlego do que teima não perecer na solidão omissa.

terça-feira, 02 fevereiro, 2010  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial