terça-feira, 10 de dezembro de 2019

das memórias em mim


das memórias em mim
tenho a serenidade
do gelo e do fogo que inflama
as palmas das minhas mãos
e me leva a guarda-las
no fundo dos bolsos cheios

a lembrança é só minha.
será?
 não sei!
mas replanto
outra memória, que revivo
com saudade e ternura

no calor do tempo
e do dia
que olho de frente
sem máculas nem reptos
olho e vejo que o dia,
está a sorrir para mim

sou e serei sempre assim, sem filtros
apenas eu!

©Piedade Araújo Sol 2019-12-09
Imagem : Alex Stoddard

10 Comentários:

Blogger Ricardo Valério disse...

Boa tarde:- Numa palavra "" SUBLIME ""
.
…………… Poema ……………
^^^ Passaste simplesmente ^^^
.
Cumprimentos poéticos

terça-feira, 10 dezembro, 2019  
Blogger Marta Vinhais disse...

Nas memórias, nas saudades e a olhar o dia de frente...
Que lindo...
Beijos e abraços
Marta

terça-feira, 10 dezembro, 2019  
Blogger Cidália Ferreira disse...

Mais um poema brilhante!

Beijos. Boa tarde!

terça-feira, 10 dezembro, 2019  
Blogger Rogério G.V. Pereira disse...

guardar as mãos
no fundo dos bolsos cheios

amanhã, quando o dia sorrir para mim
dar-me-ei à experiência
imitando a tua

«guardar as mãos
no fundo dos bolsos cheios»

terça-feira, 10 dezembro, 2019  
Blogger © Piedade Araújo Sol disse...

Rogério

bolsos cheios (de memórias)

:(

quarta-feira, 11 dezembro, 2019  
Blogger Larissa Santos disse...

Poema encantador :))

Hoje : Tempo incerto numa acalmia que dói

Bjos
Votos de uma óptima Quinta - Feira

quinta-feira, 12 dezembro, 2019  
Blogger Elvira Carvalho disse...

E não há nada melhor, que ser assim.
Bonito poema, Piedade.
Abraço e bom fim de semana

sábado, 14 dezembro, 2019  
Blogger Agostinho disse...


A cor acolhe abnegada
quem nela se deita
na brancura do algodão
Sem filtros nos bolsos
se guardam dos bolsos saem
palmas frementes ansiosas
que algo dão

Bonito, Piedade.
Com dificuldade de enxergar, espero
o regresso ao futuro.
Beijinho.

domingo, 15 dezembro, 2019  
Blogger Agostinho disse...

Voltei (com zoom) e achei que deveria ter escrito "se guardam e saem".
O nevoeiro que me tolda o olhar não me deixou ver. Ainda por mais algum tempo. Tomara o regresso ao futuro quanto antes.
Beijo.

segunda-feira, 16 dezembro, 2019  
Blogger maria joão moreira disse...

Muito bonito!
Já tinha saudades... já lã vão uns anos!

sexta-feira, 10 janeiro, 2020  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial