terça-feira, 20 de agosto de 2019

Horas

A boca do vento trouxe ecos e enigmas,
que se dispersaram,
pelas praças e avenidas,
e até pelas curvas da vida.

Houve tempos que cheguei cedo,
outros houve que cheguei tarde demais,
e a vida prosseguiu para os outros,
e também para mim.

Estar à hora certa no local certo,
é sempre a melhor opção,
eu sempre achei,
mas nem sempre calhou.

O tempo passou rápido e manso,
e muitas vezes pachorrento e feroz,
realidade em pura contradição,
camuflada de atrasos e quimeras .

Acho que aquele silêncio chegou cedo,
e o perdão tarde demais.

©Piedade Araújo Sol 2019-08-19
Imagem : Rosie Hardy

9 Comentários:

Blogger Marta Vinhais disse...

O tempo pode ser cruel... Pode destruir-nos ou abrir-nos o Mundo...
Lindo...
Beijos e abraços
Marta

terça-feira, 20 agosto, 2019  
Blogger Larissa Santos disse...

Obrigada pelo brilhante poema:))

Bjos
Votos de uma óptima noite:))

terça-feira, 20 agosto, 2019  
Blogger Rogério G.V. Pereira disse...

Não há atraso
que não possa ser
recuperado
Nem o cedo chegar
que não mereça
o tempo de esperar

quanto ao perdão
tarde chega
o que nunca chega

e

nunca é tarde
para quem perdoa
e ainda menos
para que é perdoado

terça-feira, 20 agosto, 2019  
Blogger Cidália Ferreira disse...

Um poema no qual me identifico! Parabéns!:)

Lugares sombrios, saudáveis...
Beijos e um excelente dia.

quarta-feira, 21 agosto, 2019  
Blogger Agostinho disse...

Bela urdidura com a irrealidade do poema. Gostei.
Estar no cais à espera
tem riscos de encontros e desencontros.
O comboio não vem e
ele que não vem
Nem vibrações de gente
que não vai nem vem
apenas o vazio
Assalta-nos o enígma do silêncio
que nos dilui o cérebro.
Nessa hora se souberes ora.

Beijo.

quarta-feira, 21 agosto, 2019  
Blogger JLynce disse...

Lindo e muito profundo. Amei

quarta-feira, 21 agosto, 2019  
Blogger Smareis disse...

Lindamente escrito, e a imagem é maravilhosa, casou muito bem com o poema.
Votos de ótima sexta-feira.
Um beijo!

quinta-feira, 22 agosto, 2019  
Blogger Ailime disse...

Boa tarde Piedade,
Um poema belíssimo.
"Um silêncio que chegou cedo e o perdão tarde demais".
Tantas vezes a vida é assim...
Beijinhos e bom fim de semana.
Ailime

sábado, 24 agosto, 2019  
Blogger Graça Pires disse...

Até as palavras que agora dizemos o tempo, na sua voracidade, já arrastou, e nada retorna. (Horácio) Um poema magnífico, minha Amiga Piedade.
Uma boa semana.
Um beijo.

segunda-feira, 26 agosto, 2019  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial