terça-feira, 22 de maio de 2018

Palavras ao sabor da aragem

Cristopher Mckenney

Invento e planto palavras
Desbravo-as como sementes sensíveis
Esbanjadas em seu destino incerto

Insertas em fragmentos de papéis
Saltimbancos de sonhos
Ou apenas barcos amarrotados

Resvalando destes dedos
Tropeçam desavindas
Sem força de vontade

E na doçura da tarde
As minhas mãos soltam as letras
Pela janela ao sabor da aragem

E algures elas serão sementes
Em pomares de letras
Que alguém ainda vai ler

©Piedade  Araújo Sol 2018-05-21

21 Comentários:

Blogger Rogerio G. V. Pereira disse...

Sementes?
Sim, são necessárias!
Plantar?
Sim, é gesto urgente!

Mas...
não te esqueças do húmus
e
rega, rega, rega

terça-feira, 22 maio, 2018  
Blogger Gil António disse...

Bom dia. É lindo quando se plantam palavras num "chão", chamado coração.
.
* Falar-te de Amor...em teu sorriso de desdém. *
.
Votos de um dia muito feliz.

terça-feira, 22 maio, 2018  
Blogger Cidália Ferreira disse...

Que bonito!!

Beijos e um excelente dia.

terça-feira, 22 maio, 2018  
Blogger Elvira Carvalho disse...

As palavras são sempre sementes, que nem sempre são bem aceites ou dão o fruto desejado.
Gostei do poema.
Abraço

terça-feira, 22 maio, 2018  
Blogger Os olhares da Gracinha! disse...

As mãos soltam as palavras e a mente a criatividade!!! bj

terça-feira, 22 maio, 2018  
Blogger Alquimia dos Sentidos disse...

As palavras são o nosso alento, o nosso ombro amigo, são de facto sementes que germinam pelo mundo e que tantas vezes poisam no coração de alguém! Do pomar das tuas letras, colhem-se belos poemas, cheios de sabor que nos deliciam por dentro.

Beijinho*
Fanny

terça-feira, 22 maio, 2018  
Blogger Victor Barão disse...

Muito, muito belo e inteligente este poema _ da minha humilde perspectiva diria que encerra a emergência de quem sente a necessidade escrever em poesia ou em prosa, soltando as subsequentes palavras/letras para que algures, alguém eventualmente as leia e se acaso a partir das mesmas floresçam novas combinações de palavras/letras, em seus respectivos "pomares"!...
Fica a minha vénia e um respectivo abraço de admiração
VB

terça-feira, 22 maio, 2018  
Blogger Marta Vinhais disse...

A viagem das palavras pelos labirintos, pelas sombras... até desaguarem no mar e declamam novas memórias, novos desejos, novas paixões...
Lindo...
Beijos e abraços
Marta

terça-feira, 22 maio, 2018  
Blogger Sinval Santos da Silveira disse...

Querida Poetisa,
Piedade Araújo Sol !
Todos somos sementes da vida e das belas poesias, como esta !
Um carinhoso abraço, aqui do Brasil. Sinval.

quarta-feira, 23 maio, 2018  
Blogger Sinval Santos da Silveira disse...

Querida Poetisa,
Piedade Araújo Sol !
Todos somos sementes da vida e das belas poesias, como esta !
Um carinhoso abraço, aqui do Brasil. Sinval.

quarta-feira, 23 maio, 2018  
Blogger Sinval Santos da Silveira disse...

Querida Poetisa,
Piedade Araújo Sol !
Todos somos sementes da vida e das belas poesias, como esta !
Um carinhoso abraço, aqui do Brasil. Sinval.

quarta-feira, 23 maio, 2018  
Blogger Toninho disse...

Palavras que não são levadas pelo vento. Palavras que carregam sentires belos e florescem em corações sensíveis.
Linda e curiosa imagem amiga e seu poema uma pintura de inspiração.
Semana linda esteja para você.
Beijo

quarta-feira, 23 maio, 2018  
Blogger LuísM Castanheira disse...

as palavras são o pólen da linguagem.
dispersam-se ao sabor de quem delas gosta.
um belo poema, minha. Amiga.
um beijo, Piedade.

quarta-feira, 23 maio, 2018  
Blogger Teresa Durães disse...

Reunindo todas as letras e soltarem a sua história !

quinta-feira, 24 maio, 2018  
Blogger Agostinho disse...

Viva, Piedade

Desbravas o campo e semeias
sensibilidade.
Não mentes, não erras.
As palavras na boca da Poeta não
se perdem, não se esbanjam.
Etéreas em "tons de maresia"
pairam e tocam um timbre,
suave, ao ouvido distinto.
afortunado de quem as sabe apanhar.
Bj

sexta-feira, 25 maio, 2018  
Blogger Jaime Portela disse...

As suas palavras são sempre sementes que muitas vezes caem em terra fértil (depende dos leitores).
Excelente poema, parabéns.
Bom fim de semana, amiga Piedade.
Beijo.

sexta-feira, 25 maio, 2018  
Blogger Ana Freire disse...

Uma vez mais... a função da poesia, aqui é revelada, em todo o seu encanto e sensibilidade... tanto para quem a escreve, como para quem a lê... uma maravilhosa semente... que dará fruto, também no intimo de quem a lê... através da emoção, que a mesma provocar...
Mais um belíssimo momento poético, Piedade!
Beijinho! Bom fim de semana!
Ana

sexta-feira, 25 maio, 2018  
Blogger Majo Dutra disse...

As palavras são poderosas quer traduzam suavidade
ou aspereza...
Os poetas louvam-nas e cantam-nas frequentemente,
afinal com elas criam, compõem e laboram.
Gostei muito do poema, querida Amiga.
Terno abraço.
~~~

sábado, 26 maio, 2018  
Blogger manuela baptista disse...

no fundo, somos ainda crianças


a saborear a sopa de canja com massinhas de letras e a construir poemas na beira da vida

um abraço, Pi

domingo, 27 maio, 2018  
Blogger O Árabe disse...

... e o que são as palavras, senão sementes de ideias e sentimentos? Mais um belo poema, Piedade, que nos dá o que pensar. Boa semana!

segunda-feira, 28 maio, 2018  
Blogger Graça Pires disse...

Palavras semeadas que florescem e dão frutos que o poeta reparte pelos outros…
Um magnífico poema.
Uma boa semana.
Um beijo.

segunda-feira, 28 maio, 2018  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial