terça-feira, 15 de maio de 2018

Este silêncio

Este silêncio moribundo
Entranhado na triste condição de ser mortal

Nas entrelinhas da tarde que antecede a noite
Leio o abraço nostálgico das sombras
Em centelhas de saudade
Na ilusão que arquitectamos no toque dos dedos
Enlaçada no tempo
Que julgávamos imperecível

Lá fora há luz e confiança
Há a Primavera imperturbável
No olhar das crianças
Que corre devagar
No declínio das memórias dos dias findos.

©Piedade Araújo Sol 2011-05-03

14 Comentários:

Blogger Larissa Santos disse...

Boa tarde. Fascinante poema que adorei ler :))Parabéns.

Hoje:- Sonhei...Com uma rosa prometida.

Bjos
Votos de uma óptima terça-Feira

terça-feira, 15 maio, 2018  
Blogger Marta Vinhais disse...

Haverá sempre silêncios... em que nos esquecemos, outros em que percebemos como tudo é uma ilusão...
E, sim... há sempre saudade...
Lindo.
Beijos e abraços
Marta

terça-feira, 15 maio, 2018  
Blogger Cidália Ferreira disse...

Muito poderoso este poema!!

Beijinhos e um dia feliz.

terça-feira, 15 maio, 2018  
Blogger Os olhares da Gracinha! disse...

Piedade o olhar está soberbo e gostei de ler o poema!!!bj

terça-feira, 15 maio, 2018  
Blogger José Carlos Sant Anna disse...

O silêncio
como uma benesse
abrindo as vertentes
onde escorre a água
para que tudo recomece...

Belo poema, Piedade!

terça-feira, 15 maio, 2018  
Blogger Agostinho disse...

Viva, Piedade.
Desenhaste um poema no espaço sereno do silêncio - o que nos confronta com o âmago de cada um.
E se o declínio da memória incarnar a criança que está à solta? Será este o sentido que a Poeta expressa num tom de nostalgia, porque a esperanca habita o poema.
Bj.

terça-feira, 15 maio, 2018  
Blogger Smareis disse...

Que linda essa imagem. Paisagem de encher os olhos, que belo sol.
Poema lindamente escrito. Um conjunto perfeito imagem e poema.Gostei muito.
Uma boa semana!
Um beijo!

quarta-feira, 16 maio, 2018  
Blogger Gil António disse...

Bom dia. Poema profundo a provocar meditação. Lindíssimo.
.
* Amar-te em amor de dor sentida. *
.
Votos de um dia feliz.

quarta-feira, 16 maio, 2018  
Blogger Fá menor disse...

Lindo!

Por vezes há silêncios que nos correm tanto pelo corpo...

Beijinhos.

quarta-feira, 16 maio, 2018  
Blogger Jaime Portela disse...

O nosso tempo não é imperecível, na verdade.
Excelente poema, parabéns.
Continuação de boa semana, amiga Piedade.
Beijo.

quinta-feira, 17 maio, 2018  
Blogger Majo Dutra disse...

De facto, estando sós perante o vasto e lindíssimo
ocaso sobre o mar, sentimos a nossa minúscula dimensão
e a nossa finitude...
O poema está expressivo e muito belo.
Beijinhos, estimada Piedade.
~~~~

sexta-feira, 18 maio, 2018  
Blogger Tais Luso disse...

Um dos momentos que mais aprecio é o silêncio, coisa que poucos gostam. Ruídos me atrapalham.Apenas música suave.
Beijo, Piedade.

sexta-feira, 18 maio, 2018  
Blogger Gil António disse...

Deixo votos de um feliz fim de semana.
.
* Amor feito de pura verdade *


sábado, 19 maio, 2018  
Blogger Elvira Carvalho disse...

Que dizer depois de ler este excelente poema? Faltam-me as palavras para o comentar como merece.
Um abraço e bom fim-de-semana

sábado, 19 maio, 2018  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial