terça-feira, 19 de setembro de 2017

Um dia que não vem no calendário

Saul Landell
Cheguei numa manhã sem madrugada
num dia que não vem no calendário
e vivi uma vida desvairada
com música amor e sol
dormi em esteiras duras
à luz do luar e passeei nua
por bosques por desbravar
nadei em rios frios
com os peixes a me acompanhar
bebi água em nascentes virgens
e suguei o suco de cocos ovais
comi frutos exóticos
de árvores verdes
amargos e doces
fáceis de mastigar
falei com as aves
até elas me entenderem
e levarem meus recados
ao mundo artificial
dancei ao sabor da aragem
me enlaçando ternamente
e fui criança mulher
ninfa desconhecida
num mundo por descobrir
aspirei o perfume de flores
verdes, azuis e amarelas
e cores por decifrar
e julguei-me ser uma delas
percorri montanhas e vales
montada numa gaivota e vi
que existia sementes por germinar
mas a chuva caiu suavemente
ao fim dum dia sem noite
porque as noites não são possíveis
num dia que não vem na calendário

© Piedade Araújo Sol Jan/2005
Nota: Reedito este poema escrito há muito tempo, mas mesmo com as suas falhas, não lhe quis mexer, para preservar a sua autenticidade.

25 Comentários:

Blogger Victor Barão disse...

Bem, a Piedade pode ver-lhe falhas, porque quem produz algo, cuja perfeição está na sua eterna abertura à própria perfeição, normalmente e em especial a prazo pode notar ou mesmo não poder deixar de notar falhas; mas para quem só observa e/ou desfruta de fora _ do processo criativo _ este "velhinho" poema é absolutamente fantástico, magnifico, diria mesmo perfeito... mesmo com todas as imperfeições que a Piedade, autora, lhe veja!

Parabéns minha amiga, que da parte que me toca digo-lhe do fundo da alma: obrigado por partilhar tanta beleza, poética!

Beijo, com votos duma excelente semana

terça-feira, 19 setembro, 2017  
Blogger Tais Luso disse...

Engraçado... após ler ontem o poema abaixo, de sentir um pouco de tristeza, abro essa página, leio esse belo e diferenciado poema que parece que a moça é a mesma, mas que tudo mudou!!!
Senti alegria, talvez a mesma alegria dela, porém não o mesmo dia que jamais viria num calendário!
Também queria uns dias assim!
Beijo, querida.

terça-feira, 19 setembro, 2017  
Blogger Agostinho disse...

Há dias, assim, incomuns, cheios de fantasia. Não se deita Sol. Dá calor, luz e poesia - generosa.
O dia incomum foi ontem.
Parabéns!

terça-feira, 19 setembro, 2017  
Blogger Cidália Ferreira disse...

Maravilhoso poema! Amei.

Beijinhos

terça-feira, 19 setembro, 2017  
Blogger Os olhares da Gracinha! disse...

Piedade se o alterasse não seria o mesmo!
Adoro o som e foi um gosto ler este belo poema!
bj

terça-feira, 19 setembro, 2017  
Blogger Elvira Carvalho disse...

Há dias assim, não vêm nos calendários mas nascem nos sonhos e vivem-se na inspiração dos poetas.
Abraço

terça-feira, 19 setembro, 2017  
Blogger manuela barroso disse...

Um galope de alegria , penetrando em vales e bosques , no dorso das madrugadas ! Um poema com a frecura de mulher -menina em sintonia com as cores da Natureza . Há poemas sem idade porque são intemporais .
Parabéns por reeditar este poema !
Beijinho 😘

quarta-feira, 20 setembro, 2017  
Blogger Marta Vinhais disse...

São os dias que são nossos.... Porque nos apoderamos do tempo e vivemos intensamente, sem regras, sem convenções...
Gostei muito...
Beijos e abraços
Marta

quarta-feira, 20 setembro, 2017  
Blogger Cadinho RoCo disse...

O fluir do seu lirismo mexeu comigo. www.hellowebradio.com ... você. Vem!
Cadinho RoCo

quarta-feira, 20 setembro, 2017  
Blogger Franziska disse...

Es un poema que entra de lleno en la vida interior, en un lugar de ensueño que gobierna la Luna, en un tiempo que era fantasía y que nunca existió pero, que aún es un recuerdo en la fantasía. Esto es lo que yo entiendo si no estoy equivocada, naturalmente. Me gustó mucho es una escritura muy ágil. Saludos muy cordiales y afectuosos. Franziska

quarta-feira, 20 setembro, 2017  
Blogger Smareis disse...

Maravilhoso poema, lindamente construído.
Amo seus escritos Piedade.
Um beijo!

quarta-feira, 20 setembro, 2017  
Blogger Pedro Luso disse...

Olá, Piedade!
Gosto de vir a este espaço para ler os teus poemas, como este belo poema. Parabéns.
Um abraço.
Pedro

quinta-feira, 21 setembro, 2017  
Blogger Dilmar Gomes disse...

Lindo poema, Piedade. Agradeço, aqui, tua visita lá no meu modesto espaço. Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas uma boa noite.

quinta-feira, 21 setembro, 2017  
Blogger Jaime Portela disse...

E como já fazias poesia tão boa há 12 anos...
Gostei muito, é um excelente poema.
Bom fim de semana, amiga Piedade.
Beijo.

sexta-feira, 22 setembro, 2017  
Blogger LuísM Castanheira disse...

'já fui quase tudo'...
este seria um (meu) possível título
neste belo e musical poema.
ainda bem que o republicou,
Piedade.( seria perda minha)
Um beijo e um bom fim-de-semana, Amiga.

sexta-feira, 22 setembro, 2017  
Blogger Ana Freire disse...

Intensidade, espontaneidade e autenticidade... vi... falhas... confesso, que não encontrei... mas se elas lá estão... fez muito bem em preservá-las, Piedade... pois nem se notam... e o espírito primordial do poema, manteve-se...
Beijinhos! Bom domingo, e uma feliz semana!
Ana

domingo, 24 setembro, 2017  
Blogger Louraini Christmann - Lola disse...

Muito bom passar aqui,
por este teu cantinho lindo,
neste início de semana.
Busco ânimo.
Busco novas luzes.
Busco...

abraço
Lola

segunda-feira, 25 setembro, 2017  
Blogger Francy´s Oliva disse...

Bom dia Piedade que a fantasia seja sempre bem vinda nas tuas palavras é ainda melhor :)

segunda-feira, 25 setembro, 2017  
Blogger Armando Sena disse...

Talvez, mas até nesses dias incógnitos é possível a felicidade.
bj

segunda-feira, 25 setembro, 2017  
Blogger Graça Pires disse...

O que se pode fazer e desejar num dia que não vem no calendário... São dias de gestos insuspeitos. São dias em que as flores nascem onde menos se espera...
Magnífico, Piedade.
Uma boa semana.
Um beijo.

segunda-feira, 25 setembro, 2017  
Blogger O Árabe disse...

Não vi as falhas, Piedade; mas achei lindo. Lúdico, poético e esperançoso. Boa semana, obrigado!

segunda-feira, 25 setembro, 2017  
Blogger Magdeli Valdés disse...

Dar gracias a la vida
si es maravilloso caminar en este cuerpo azul
a pesar de los pesares
conteniendo si en ese sentir la alegría diaria
de estar vivas y sonreír.

segunda-feira, 25 setembro, 2017  
Blogger Louraini Christmann - Lola disse...

Muito, muito linda poesia!
Estas noites...
Estas madrugadas...
As que existiram ou não...

Bom!
Vão nos render ainda
lindas outras poesias
Infindas....

abraço
LOla

quinta-feira, 28 setembro, 2017  
Blogger José Carlos Sant Anna disse...

Há dias. E Por que adias há dias?.
Uma luz não se manifesta sem a outra. O que ainda não existe, é um projeto frente aos olhos. É uma realidade a modelar. Por isso, parece dizer a poeta “Eu te invento ó dia que não vem no calendário". E assim se compõe “realidade”.
Beijinhos,

sexta-feira, 29 setembro, 2017  
Blogger AC disse...

Ah, Piedade, que belo exercício...!
Será que a crença é tudo?

Um beijinho :)

sábado, 30 setembro, 2017  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial