terça-feira, 12 de setembro de 2017

Fantasias

 saul landell

Um dia apareceu na praça uma estátua,
e, nunca ninguém soube como ali surgiu.

Algum tempo depois,
os velhos da praia juraram,
que em noites de temporal,
assomavam em seus olhos de pedra , lágrimas,
e que era um aviso para não saírem para o mar.

Talvez nem existam lágrimas,
nem estátua,
nem fantasmas para me,
turvar o colorido do tempo,
e o cheiro a maresia que me traz o vento.

Caminho, sem me questionar
o tempo, ou o chilrear dos pássaros,
apenas caminho,
ao sabor dos passos que me levam,
na sonoridade do dia e do momento.

©Piedade Araújo Sol 2017-09-12

22 Comentários:

Blogger Agostinho disse...

A força da poeta superou em verso a superstição e o destino.

Fantasias era o que se fazia.

Ludibriávamos o medo
à beira das escarpas
em nós plantadas, com luz e sinais.
Enterrámo-lo, depois, no sal
do passado.
Bj.

terça-feira, 12 setembro, 2017  
Blogger Pedro Luso disse...

Parabéns Piedade pelo belo poema ("Talvez nem existam lágrimas (...)". Gostei muito.
Ótima semana.
Um abraço.
Pedro

terça-feira, 12 setembro, 2017  
Blogger Cidália Ferreira disse...

Mais um poema fantástico!

beijo

terça-feira, 12 setembro, 2017  
Blogger Marta Vinhais disse...

Talvez não exista nada....
Só nós... às sós com a alma....
Lindo...
Beijos e abraços
Marta

terça-feira, 12 setembro, 2017  
Blogger Os olhares da Gracinha! disse...

Caminhar...nesse jeito poético...suaviza nossa caminhada! Bj

terça-feira, 12 setembro, 2017  
Blogger http://pensandoempoesia.blogspot.com.br disse...

creio não existir nada mesmo, apenas miragem, um belo texto, fechou com chave de ouro, continue a bela caminhada, que os bons ventos te conduzam.
Agradecida por visitar meu blog.
Bjss!

terça-feira, 12 setembro, 2017  
Blogger Toninho disse...

Linda inspiração e construção deste seguir e ir onde meus passos me levam e a emoção me carrega pelos caminhos floridos que vão dar num mar de belezas infinitas.
Amei foto e poesia na pura magia que a poesia carrega.
Semana linda amiga e que a paz seja presente.
Bjs

terça-feira, 12 setembro, 2017  
Blogger mz disse...

Uma estátua que se tornou igual ao vento; invisível.

Bjs

terça-feira, 12 setembro, 2017  
Blogger Majo Dutra Rosado disse...

Caminhar ao sabor do cheiro a maresia que o vento traz,
da vibração do dia e do momento; esquecendo tempestades...
Um poema belíssimo, numa criação perfeita para a imagem
rara e especial...
Beijos, querida poetisa.
~~~~~~~~~~~~

terça-feira, 12 setembro, 2017  
Blogger manuela barroso disse...

Divagar, planando os olhos na areia, no mar ou no céu, não pensar, ser só, quanta liberdade , Deus meu!
Maravilhoso, P.!
Beijinho :)

terça-feira, 12 setembro, 2017  
Blogger Luis Eme disse...

Mas existem, quanto mais não seja para nos fazerem sorrir.

abraço Piedade

terça-feira, 12 setembro, 2017  
Blogger Victor Barão disse...

Eu ainda não tinha visto nem lido esta postagem da Piedade, quando respondi ao seu comentário a uma minha postagem no meu próprio espaço (receber e dar), para agora redescobrir e concluir a um nível muito sublimemente elevado neste "Fantasias", o que lá respondi à Piedade e agora repito por renovadas palavras: _ A estimada Piedade fotografa num espaço (Poesia em Imagens) e escreve/poetisa neste outro espaço (olhares em tons de maresia) frequentemente acerca do mar e seu entorno, a um nível que como no presente caso nos deixa, desde logo me deixa a mim extasiado de beleza e sensibilidade!
Por isso qualquer positivo comentário da Piedade no meu espaço, tanto mais ainda se acerca dalguma minha foto relacionada com o mar, me deixa alta e gratamente sensibilizado!
Ah! E esqueceu-me de referir que creio não haver cedo ou tarde para a solidão _ mas também creio que há formas de solidão alta e inspiradoramente criativas, por isso e ao menos acompanhadas duns certos entes inspiradores!
Beijo de venerada companhia :)

quarta-feira, 13 setembro, 2017  
Blogger Elvira Carvalho disse...

Uma lenda, feita poema, um poema feito sentimento.
Um abraço

quarta-feira, 13 setembro, 2017  
Blogger José Carlos Sant Anna disse...

Sob os véus da alegoria deste poema, só me lembro dos fantasmas da seleção da Alemanha que ainda pairam sobre os relvados brasileiros, aqueles vultos que nos corroem... são águas copiosas que escorrem deste poema, aguadas esperançosas, líricas, de um mundo intraduzível, que o seu lirismo dá conta. Belíssimo poema!

quinta-feira, 14 setembro, 2017  
Blogger Just Fantasy Bijuteria disse...

Linda poesia, gosto muito dos temas ligados ao mar :) beijinhos

sexta-feira, 15 setembro, 2017  
Blogger Jaime Portela disse...

Há sinais que são dados como certos.
Na dúvida...
Mas há quem não ligue, tal como o poeta, que faz o que lhe apetece.
Excelente poema, gostei muito.
Bom fim de semana, amiga Piedade.
Beijo.

sexta-feira, 15 setembro, 2017  
Blogger Profª Lourdes disse...

Que belo poema amiga! A magia do mar e do desconhecido. Parabéns! Para que esse fim de semana seja de muita paz, amor e esperança de dias melhores, deixo esse pensamento da Ana Carolina:
“Diga o que você pensa com esperança.
Pense no que você faz com fé.
Faça o que você deve fazer com amor!”
Abraços da amiga Lourdes Duarte.

sexta-feira, 15 setembro, 2017  
Blogger Rita Sperchi disse...

Que seja uma bela caminhada
cheia de poesia ,gostei muito
bom....

Abraços com carinho!

└──●► *Rita!!

sábado, 16 setembro, 2017  
Blogger Franziska disse...

Un sentimiento trágico se asoma entre las palbras de los versos con la fuerza con la que los sentimientos presionan tanto el alma como el cuerpo.

Ha sido un poacer volver a visitar y leer sus versos cargados de fuerza y de sentimiento. Saludos muy afectuosos y cordiales. Franziska

domingo, 17 setembro, 2017  
Blogger Tais Luso disse...

Fiquei a olhar a bela jovem caminhando no mar e pensando alguma coisa só sua, profunda. Que importariam
estátuas, lágrimas, pássaros naquela procura por tranquilidade? Naqueles seus questionamentos, talvez?
Belo poema, Piedade, gosto de poemas que deixam transparecer um pouquinho de tristeza, afinal, fazem parte da vida.
Beijo, querida amiga.

segunda-feira, 18 setembro, 2017  
Blogger O Árabe disse...

Belo poema, que nos traz uma indagação e, ao mesmo tempo, uma resposta: existe melhor maneira de caminhar?! Boa semana, Piedade.

segunda-feira, 18 setembro, 2017  
Blogger Graça Pires disse...

Fantasia. Ou não. A imaginação não tem margens. Há horizontes construídos em volta dos sonhos. E por isso se caminha ao sabor dos passos...
Belíssimo poema!
Uma boa semana.
Um beijo.

segunda-feira, 18 setembro, 2017  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial