terça-feira, 22 de agosto de 2017

O sonho de um poeta



  •                                                                                            shawrus

O poeta tinha um sonho da dimensão de um grão de areia,
mas, nas tardes ao poente
crescia e adquiria contornos tão vastos,
que ele não o conseguia travar,
metamorfoseava-se e voava,
com asas de gaivota,
e com sabores e aromas de mar.

Quando a noite caia ele ganhava asas ainda maiores,
e conseguia um horizonte ainda mais abrangente,
e longínquo,

muitas vezes o poeta nem sabia sequer quem era,
perdia a noção do tempo e do espaço,
e ao poente,
quando os pescadores se sentavam ao seu redor,
ele falava de países e estórias que os deixavam totalmente enfeitiçados.

Depois,  quando todos se recolhiam ,
o poeta regressava ao seu mundo,
e esse personagem morria nesse momento,
pois no outro dia e em outro sonho,
ele renascia.

Sabia, que lhe chamavam louco, mas ele era tão são,
como a loucura que o invadia,
no deslumbramento dos dias,
em que olhava o poente .

©Piedade Araújo Sol 2017-08-21

22 Comentários:

Blogger Os olhares da Gracinha! disse...

Uau que olhar fantástico!
Belo momento poético!!! Bj

segunda-feira, 21 agosto, 2017  
Blogger Pedro Luso disse...

Pois é Piedade os poetas podem ser chamados de louco,
dizem isso por pura inveja de suas asas, que o levam
para altos voos, principalmente que se põe o sol.
Eles são apenas poetas.
Uma ótima semana.
Um beijo. Pedro

segunda-feira, 21 agosto, 2017  
Blogger Luis Eme disse...

Já vi que é um poeta antigo, no tempo da loucura...

abraço Piedade

terça-feira, 22 agosto, 2017  
Blogger Cidália Ferreira disse...

Que bonito!
Adorei a foto. Parabéns

Dia feliz. Beijo

terça-feira, 22 agosto, 2017  
Blogger Monyque Evelyn disse...

Que texto lindo :D

http://submersa-em-palavras.blogspot.com.br/

terça-feira, 22 agosto, 2017  
Blogger Agostinho disse...

Gostei imenso deste poema, Piedade.

Praia esticada no vermelho turco
e do noroeste soluçante a ma-re-si-a
sobe e preenche o vazio do espaço
Do Sol poeta
drapeja sem sombra
ou dúvida
bandeira a pino
E no pé cresce o que não sobra
o grão de areia
sagrado fermento que é

Bj.

terça-feira, 22 agosto, 2017  
Blogger Marta Vinhais disse...

Nunca o poeta será louco... Porque o poente tem sempre novas histórias a contar e viver nas palavras do poeta....
Lindo...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

terça-feira, 22 agosto, 2017  
Blogger José Carlos Sant Anna disse...

E viva o poente e o murmúrio distante e a fonte escondida em cada pedra e os feixes de luz e os vastos desertos e as tuas mãos que lavram tão bem as palavras. E porque não também a loucura benfazeja dos poetas.
"Totalmente demais" este poema!
Beijo,

terça-feira, 22 agosto, 2017  
Blogger Victor Barão disse...

Caso para dizer que "num grão de areia, oniricamente poético, está contido todo o universo". Sendo que seguramente um grão de areia faz parte integrante de todo o Universo. Ainda que por vezes só os poetas e a poesia consigam fazer essa ligação, entre a parte e o todo Universal. E que seguramente só os poetas e a poesia conseguem fazer essa ligação duma forma tão sublimemente bela, diria aqui loucamente bela, como neste "O sonho de um poeta"
Muitos parabéns
_ só me custa aceitar que, salvo erro, a foto não seja da Piedade AS, como me leva a crer que não o seja, ainda que a mesma esteja plenamente dentro do seu estilo e das suas respectivas faculdades fotográficas
Beijo :)

quarta-feira, 23 agosto, 2017  
Blogger Graça Pires disse...

Os poetas. Que loucura os invade para repartirem as palavras com os outros, dizendo o que os emociona, o que os magoa, o que os deslumbra e o que os faz ganhar asas ou perdê-las?
Tão belo este poema, Piedade.
Um beijo.

quarta-feira, 23 agosto, 2017  
Blogger Majo Dutra Rosado disse...

Há realmente poentes que nos deixam mais do que fascinados
verdadeiramente alucinados...
Sonhos e ocasos encantadores que só as almas poéticas entendem...
Dias veranis inesquecíveis.
Beijos
~~~

quarta-feira, 23 agosto, 2017  
Blogger © Piedade Araújo Sol disse...

Victor Barão

efectivamente a foto que faz suporte ao meu poema não é de minha autoria, geralmente opto quase sempre por não as colocar aqui, uma vez que as tenho no outro espaço, mas, por baixo de todas está o link que lhe dá acesso ao autor da mesma... :)

quarta-feira, 23 agosto, 2017  
Blogger Jaime Portela disse...

Os poetas são assim mesmo, voam porque têm asas...
Excelente poema, gostei imenso.
Bom fim de semana, amiga Piedade.
Beijo.

sexta-feira, 25 agosto, 2017  
Blogger Victor Barão disse...

Obrigado pela resposta.

Sim! De facto eu havia-me apercebido do link abaixo, mas como a foto tem tanto, tanto a ver com o estilo fotográfico da Piedade, chegou a custar-me acreditar que não era mesmo de sua autoria.

De resto entendo o argumento da Piedade relativo a já ter o outro espaço onde partilha as suas fotos, mas também creio que ao menos pontualmente e/ou quando adequadamente isso não invalide que adicione aqui alguma das mesmas, como que fazendo o pleno de entre texto Poético e imagem fotográfica não menos Poética, em qualquer dos casos de sua própria autoria.

Mas claro esta última é apenas a minha perspectiva que não invalida em absoluto a perspectiva da estima Piedade, tanto mais se com relação aos seus próprios espaços de partilha de texto Poético e de imagem fotográfica, que de resto me merecem toda a reverência e admiração como e enquanto tais.

Beijos de reconhecimento e amizade :)

sábado, 26 agosto, 2017  
Blogger Teresa Durães disse...

A loucura dos poetas que nos faz vivos

domingo, 27 agosto, 2017  
Blogger Maré Viva disse...

Um belo poema que nos faz viajar com as asas que não temos e tentar compreender a loucura do poeta, tão necessária neste mundo impiedoso.
Beijos.

domingo, 27 agosto, 2017  
Blogger Profª Lourdes disse...

Amiga, encantadora poesia completando todo lirismo com essa bela foto. Parabéns! Tenha um finalzinho de tarde de Domingo feliz e que o início da semana venha abençoado. Fica na paz.

domingo, 27 agosto, 2017  
Blogger A Casa Madeira disse...

Com essa bela imagem, só tem que sair poesia.
Lindo.
Boa semana.

segunda-feira, 28 agosto, 2017  
Blogger Maria Rodrigues disse...

Soltam-se as palavras da alma dos poetas e voam livremente até à folha branca de papel, formando poema maravilhosos como este.
Beijinhos
Maria de
Divagar Sobre Tudo um Pouco

segunda-feira, 28 agosto, 2017  
Blogger Ana Freire disse...

Uma inspiração de sonho... para ler e reler... onde tão bem se reflecte a alma de quem escreve poesia...
Mais um dos seus trabalhos... Piedade, que adorarei destacar lá no meu canto, se me permitir, qualquer dia... com o correspondente link, para aqui...
Beijinhos! Bom domingo!
Ana

domingo, 03 setembro, 2017  
Blogger © Piedade Araújo Sol disse...

Ana

pode usar, eu não me importa e sei que respeita o link.

muito obrigada!

beijinhos

:)

domingo, 03 setembro, 2017  
Blogger Maria disse...

Maravilhoso poema adorei!!Corre-lhe nas veias poesia!Bjs

quinta-feira, 19 outubro, 2017  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial