terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Em Janeiro

  • :




Em Janeiro
com o frio a infiltrar-se nos ossos
Lisboa não cabia nos teus olhos
quando te perdias pelas ruelas desconhecidas
e a ansiedade te invadia
o rosto incendiado de ternura.

Quando olhavas para as montras
e ajeitavas os cabelos de chuva
descaídos pelas costas
não sei que imaginavas
quando com o meu casaco
te cobria o corpo franzino a tiritar.

Os teus sonhos talvez fossem
os barcos que navegavam no Tejo
e as tuas mãos que entrelaçavas nas minhas
nas noites em que cintilavam estrelas que eu nem via
e tu sorrias calada.

Eu não sabia -ainda - que em ti existiam
sabores de sentimentos ocultos
e um sorriso de sal e algas tão grande
que sobrevive no tempo e nos teus olhos,
e que no teu ser os afectos estão entranhados nos ossos.

São eternos como os barcos do Tejo.

© Piedade Araújo Sol 2012-01-23


(Reeditado primeira publicação em 2012-01-24)

23 Comentários:

Blogger Mar Arável disse...

Doem-me os ossos
mas não os mastros
muito menos os barcos

Bj

terça-feira, 24 janeiro, 2017  
Blogger VENTANA DE FOTO disse...

Bellísima imagen con una estupenda reflexión.

el sentimiento de unos versos es el complemento perfecto.

Besos

terça-feira, 24 janeiro, 2017  
Blogger José Carlos Sant Anna disse...

Tão bom observar a dinâmica dessa confissão desembocando n o verso final: "são eternos como os barcos do Tejo" e o quanto é rica a valorização do tempo e espaço. Belíssimo!
Beijos, amiga!

terça-feira, 24 janeiro, 2017  
Blogger Marta Vinhais disse...

Talvez fossem....Mas se os sonhos sobrevivem no tempo e no olhar....basta abrir as asas e voar na sombra dos barcos...
Lindo....
Beijos e abraços
Marta

terça-feira, 24 janeiro, 2017  
Blogger Cidália Ferreira disse...

Fantástico poema! Amei

Beijinhos

terça-feira, 24 janeiro, 2017  
Blogger Os olhares da Gracinha! disse...

E os afetos...tal como os olhares são verdadeira poesia!
Gosto muito...bj

terça-feira, 24 janeiro, 2017  
Blogger Agostinho disse...

O teu poema, Piedade, lindo, está pleno de emoção. Muito bom.

Passeio no arrepio da manhã,
ainda a brancura ignara é pura.
Parto e vejo esta montra de afectos:
calor, intimidade, memória:
Janeiro parece o ano inteiro.

Bj.


terça-feira, 24 janeiro, 2017  
Blogger Pedro Luso disse...

Olá, Piedade.
Belo o seu poema Em janeiro. Belíssimo poema. Parabéns.
Abraços.
Pedro.

terça-feira, 24 janeiro, 2017  
Blogger Elvira Carvalho disse...

Um poema muito bonito Piedade. Senhos e sentimentos feitos poesia.
E a imagem uma maravilha
Um abraço

quarta-feira, 25 janeiro, 2017  
Blogger (CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Dos seus, um dos mais lindos que já li. Parabéns. Beijos.

quarta-feira, 25 janeiro, 2017  
Blogger Fá menor disse...

Que, nos ossos, sejam os afectos a infiltrar-se e não o frio!

Belíssima foto!

Beijinhos

quinta-feira, 26 janeiro, 2017  
Blogger Luis Eme disse...

Se tu dizes que sim, acredito.

abraço Piedade

quinta-feira, 26 janeiro, 2017  
Blogger Graça Pires disse...

"Eternos como os barcos do Tejo". Há afectos assim. Para sempre. Eternamente...
Tão belo, Piedade!
Um beijo e bom fim de semana.

sexta-feira, 27 janeiro, 2017  
Blogger manuela baptista disse...

eu não sabia, ainda, tanto afecto em Janeiro


um abraço, Pi

sexta-feira, 27 janeiro, 2017  
Blogger Aleatoriamente disse...

Que lindo texto.
Uma mistura linda, de lembranças e sentimentos, que em tuas mãos transformam-se em poemas , lindos poemas como este.

Beijinho Pi

sábado, 28 janeiro, 2017  
Blogger Jaime Portela disse...

Magnífico poema, minha amiga.
Também gostei da foto escolhida.
Piedade, bom domingo e boa semana.
Beijo.

domingo, 29 janeiro, 2017  
Blogger Berço do Mundo disse...

Venho da casa da Elvira "Sexta Feira", atraída pela imagem e sou invadida por uma sensação maravilhosa de tranquilidade, provocada pelos seus versos belíssimos e esta melodia leve.
Adorei.
Que os sonhos continuem a navegar, como os cacilheiros, mesmo quando o frio nos faz desconfiar deles.
Beijinho
Ruthia d'O Berço do Mundo

domingo, 29 janeiro, 2017  
Blogger Ana Freire disse...

O amor para além da pele... até à alma... é a forma mais bonita de amor... belíssimamente descrito por aqui...
Adorei o poema, com a nossa Lisboa, como cenário de fundo...
Beijinhos, Piedade!
Bom fim de semana!
Ana

domingo, 29 janeiro, 2017  
Blogger Sofia disse...

Não há o que comentar, só sentir...
Um dos poemas mais lindos que li ultimamente. Belíssimo.

Beijinho.

segunda-feira, 30 janeiro, 2017  
Blogger Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Um belo poema para celebrar este mês de Janeiro, gostei bastante.
Um abraço e boa semana.
Andarilhar || Dedais de Francisco e Idalisa || Livros-Autografados

segunda-feira, 30 janeiro, 2017  
Blogger Ana disse...

A imagem está magnífica. Um espelho de água lindíssimo!
Beijinhos,
http://chicana.blogs.sapo.pt/

segunda-feira, 30 janeiro, 2017  
Blogger Existe Sempre Um Lugar disse...

Bom dia, poema e foto em plena sintonia, a foto é magica e o poema é maravilhoso.
AG

segunda-feira, 30 janeiro, 2017  
Blogger O Árabe disse...

Ainda bem que você o republicou, Piedade; que belo poema! Obrigado, boa semana.

segunda-feira, 30 janeiro, 2017  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial