terça-feira, 7 de junho de 2016

dizes

Saul Landell
dizes que vais partir,
voar noutros céus,
desenhar outras paragens,
num outro lugar do mundo.
dizes que nem sabes,
o que te espera para lá do horizonte,
mas que tens de exercitar,
as tuas asas para além do teu país.
dizes que não te iludes,
e que as palavras já não fazem eco,
que os sorrisos já não,
habitam em todos os rostos.
e o que não dizes eu até congemino,
que o teu coração está oprimido,
e que as palavras mesmo tresmalhadas,
fazem sempre falta.
na ausência delas, e apenas no silêncio,
eu sei que não dizes ,
que os teus passos estão soltos,
mas as tuas asas estão enlaçadas.

©Piedade Araújo Sol  2016-06-07

25 Comentários:

Blogger Agostinho disse...

Se a poeta diz o que diz
do anjo ...
a aridez da palavra
já não sustenta o voo
anunciado nas asas.

Bj




terça-feira, 07 junho, 2016  
Blogger Luis Eme disse...

Dizemos muitas coisas...

abraço Piedade

terça-feira, 07 junho, 2016  
Blogger Majo Dutra disse...

~~~
A emoção de sentires contraditórios...

Um poema enternecedor e comovente

que nos fala dos sentimentos que antecedem o exílio

e evoca as perenes saudades dos portugueses em diáspora...

Muito belo, Poeta!

~~~ Beijinho.~~~
~~~~~~~~~~~~~

terça-feira, 07 junho, 2016  
Blogger Marta Vinhais disse...

Dizemos e deixamos muito por dizer....
No silêncio que não queremos quebrar...
Lindo...
Beijos e abraços
Marta

terça-feira, 07 junho, 2016  
Blogger Acordar Sonhando . SOL da Esteva disse...

O que se diz nem sempre é uma afirmação. @ que parte, diz; @ que fica chora para não dizer.
Um Poema muito belo, Piedade.


Beijo
SOL

terça-feira, 07 junho, 2016  
Blogger Cidália Ferreira disse...

Maravilhoso!

beijos

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

terça-feira, 07 junho, 2016  
Blogger Rogerio G. V. Pereira disse...

Tempos estes

Voar com malas
debaixo das asas

Tempos estes
em que o não dito
é mais relevante
do que o ouvido

Tempos estes
que vais registando em poemas

quarta-feira, 08 junho, 2016  
Blogger rosa-branca disse...

Pi, diz-se tantas coisas e por vezes fica tanto por dizer. Amei demais o teu poema. Beijos com carinho

quarta-feira, 08 junho, 2016  
Blogger Fábio Murilo disse...

Muito bom, Sol. Coisas da vida, dilemas, duvidas, inquietações do existir do exercício de busca. Beijos!

quarta-feira, 08 junho, 2016  
Blogger Ana Freire disse...

Um belo poema... sobre estes tempos conturbados... que obrigam tantos a partir, quando a sua verdadeira vontade, seria ficar...
Como sempre, um poema profundo e tocante!...
Beijinhos! Continuação de uma boa semana!
Ana

quarta-feira, 08 junho, 2016  
Blogger Crocheteando...momentos! disse...

Na poesia escondem-se a dor e a mágoa!
Gostei...bj

quarta-feira, 08 junho, 2016  
Blogger manuela baptista disse...

refúgio
refugiar
refugiados


um beijo, Piedade

quarta-feira, 08 junho, 2016  
Blogger heretico disse...

sem asas o voo não será longo...

e, por mais desembaraçadas que as pernas sejam ficarão sempre aquém da passada exigida...

assim os pássaros de asas cortadas.

belo e expressivo poema

beijo

quinta-feira, 09 junho, 2016  
Blogger Nana disse...

Ola eu achei ....

Muito o seu cantinho ....
tenha um dia lindo com bençãos dos céus .... bjus em seu coração ....

venha conhecer o meu cantinho e me seguir se desejar ok ...

bjus bjus :)

quinta-feira, 09 junho, 2016  
Blogger lis disse...

Tempos esses ... que quase precisamos ignorar para seguir em frente ,
quisera ter asas Piedade .
Poema lindo amiga,
abraços de volta às origens.rs

sexta-feira, 10 junho, 2016  
Blogger Jaime Portela disse...

Às vezes há que sair. E ainda bem que existem asas para que se possa voar...
Belo poema, gostei imenso.
Piedade, tem um bom fim de semana.
Beijo.

sexta-feira, 10 junho, 2016  
Blogger DE-PROPOSITO disse...

O que não se diz, tem mais força do que o que se diz.

Felicidades
MANUEL

sábado, 11 junho, 2016  
Blogger mz disse...

Congeminamos o que não sai da boca do outro. Tenta-se chegar lá arredondando as palavras e depois espera-se que a língua se solte. Desabafe.

domingo, 12 junho, 2016  
Blogger Graça Pires disse...

O silêncio. O que se não diz, dizendo... A ausência e a presença entrelaçadas como asas presas ao céu e à terra...
Um belo poema, minha amiga Piedade.
Beijos.

segunda-feira, 13 junho, 2016  
Blogger Elvira Carvalho disse...

Nem tudo o que se diz é verdade. A verdade, está muitas vezes no que se não diz.
Abraço

segunda-feira, 13 junho, 2016  
Blogger O Árabe disse...

Verdade, Piedade... e como é difícil ficar assim, quando a mente quer ir, mas o coração insiste em ficar! É como bem dizes: passos soltos, asas enlaçadas! Belo poema, boa semana.

segunda-feira, 13 junho, 2016  
Blogger Nana disse...

Ola querida obrigado pelo teu carinho em meu cantinho ....
bjus e tenha uma linda e maravilhosa semana

segunda-feira, 13 junho, 2016  
Blogger Nana disse...

Ola querida obrigado pelo teu carinho em meu cantinho ....
bjus e tenha uma linda e maravilhosa semana

segunda-feira, 13 junho, 2016  
Blogger Fê blue bird disse...

Sabes o porquê deste teu belo poema me tocar profundamente.
Tantas coisas que ficam por dizer...


Um beijinho comovido

segunda-feira, 13 junho, 2016  
Blogger AC disse...

A razão lá, o coração cá. E as asas só se distendem, convictamente, quando o coração sorri.

Belo, Piedade!

Um beijinho :)

sexta-feira, 17 junho, 2016  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial