terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Labirintos

Kamil Vojnar
Já não sufocamos na luxúria
mas a noite ainda  é 
o reflexo do que somos
quanto estamos
lado a lado  na
penumbra do quarto
com o pecado consumido
na pureza dos corpos.

© Piedade Araújo Sol 2016-01-11

26 Comentários:

Blogger Luis Eme disse...

Sim...

Reparamos mais nos pequenos e nos grandes pormenores...

abraço Piedade

terça-feira, 12 janeiro, 2016  
Blogger Henrique Caldeira dos Santos disse...

e, por vezes, é dificil sair, ou somos nós que o não queremos.
(isto sou eu a viajar!)
muito, muito bom!
beijinho
:)

terça-feira, 12 janeiro, 2016  
Blogger Cidália Ferreira disse...

Muito bonito. Profundo!

Beijo e um dia feliz

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

terça-feira, 12 janeiro, 2016  
Blogger Marta Vinhais disse...

Na noite com a cumplicidade dos sentidos....
Lindo...
Beijos e abraços
Marta

terça-feira, 12 janeiro, 2016  
Blogger Mário Margaride disse...

Como em tão poucas palavras se diz tanto...
Gostei muito!

Boa semana, amiga Piedade!
Beijinhos

terça-feira, 12 janeiro, 2016  
Blogger O Árabe disse...

Duas coisas que sempre me encantam, Piedade: a singularidade das imagens e a beleza dos poemas que postas! Bela postagem, boa semana.

terça-feira, 12 janeiro, 2016  
Blogger Silenciosamente ouvindo... disse...

Uma poesia que também não
apetece deixar.
Bjs. amiga.
Irene Alves

terça-feira, 12 janeiro, 2016  
Blogger Elvira Carvalho disse...

Excelente.
Um abraço

terça-feira, 12 janeiro, 2016  
Blogger Agostinho disse...

Boa noite, Piedade
Estamos na presença dum curtinho e intenso poema. Reparei no pormenor da imagem - significante - em articulação com as palavras: o corpo que está para além da cama: o ainda.

Enquanto a noite
ainda
abriu-se a janela
de par em par
para escapar por ela
o ainda
que a penumbra
da noite
queria abafar

Bj

terça-feira, 12 janeiro, 2016  
Blogger Rogerio G. V. Pereira disse...

A levitação das pétalas?
Ou das palavras,
por tão belas

quarta-feira, 13 janeiro, 2016  
Blogger mz disse...

Ser mais
sem ser demais
é
o que os corpos pedem
um dia
atrás do outro.


Bjs

quarta-feira, 13 janeiro, 2016  
Blogger MARILENE disse...

Poema curto, significativo e belo. Os corpos se procuram e o cenário da penumbra é perfeito. Bjs.

quarta-feira, 13 janeiro, 2016  
Blogger manuela barroso disse...

A verdade dos afetos , na beleza das antíteses . Fantástico !
Beijinho !:))

quarta-feira, 13 janeiro, 2016  
Blogger Majo disse...

~~~
Interpreto a «A Chuva Vermelha»

como a passagem de uma menina

à idade adulta...

~ O poema refere uma grande

atração física, que parece ser

a primeira dos dois amantes...


Singulares - a pintura e poema.

~~~ Beijinhos poéticos. ~~~~~
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

quinta-feira, 14 janeiro, 2016  
Blogger Acordar Sonhando . SOL da Esteva disse...

A penumbra e a proximidade doce, são o reflexo das Almas gémeas.
Poema belíssimo.

Beijo
SOL

quinta-feira, 14 janeiro, 2016  
Blogger Ana Freire disse...

E pecado... será não amar...
Adoro perder-me, nestes seus labirintos de sensibilidade...
Lindíssimo! Belo, simples... e grandioso, poema! Adorei!
Beijinhos
Âna

quinta-feira, 14 janeiro, 2016  
Blogger heretico disse...

fica sempre o "perfume"... inconfundível!

beijo

quinta-feira, 14 janeiro, 2016  
Blogger mixtu disse...

A noite... o pecado na penumbra...

sexta-feira, 15 janeiro, 2016  
Blogger DE-PROPOSITO disse...

Se bem entendi: _O culminar de momentos afectuosos.

Abraço
MANUEL

sexta-feira, 15 janeiro, 2016  
Blogger Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

Sim, "a noite ainda é o reflexo do que somos" :)


Beijo

sábado, 16 janeiro, 2016  
Blogger Zilani Célia disse...

OI PIEDADE!
UMA CUMPLICIDADE PERFEITA!
LINDO AMIGA.
ABRÇS
-
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

sábado, 16 janeiro, 2016  
Blogger Olinda Melo disse...


Olá, Piedade

Quando há esse "querer estar juntos" o sentimento vai para além da luxúria.
E, talvez, daí a vontade de permanecer nesse
labirinto, como aventa um dos comentadores.
Bj
Olinda

domingo, 17 janeiro, 2016  
Blogger Nidja Andrade disse...

Sonhar, mais que um sonho, é uma realidade em presente a se viver.
AbraçO

domingo, 17 janeiro, 2016  
Blogger Isa Lisboa disse...

Apura-se a forma de amar! ;)
Abraço, Piedade! :)

domingo, 17 janeiro, 2016  
Blogger O Árabe disse...

Aguardo o próximo post, Piedade, ainda curtindo a imagem e os versos fantásticos. Boa semana!

segunda-feira, 18 janeiro, 2016  
Blogger Graça Pires disse...

É à noite que uma espécie de fogo posto nos ondula no corpo propício a todos os prazeres...
Um poema muito belo, Piedade.
Um beijo.

segunda-feira, 18 janeiro, 2016  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial