terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Prenúncio



Do poente que se adelgaça
Levam no olhar a magia
Desfalecendo no mar por entre as águas

Uma vez mais as palavras
Morrem-me na voz
E afogam os sonhos suicidários

Há sempre um prenúncio
De fogo e tempestade
No desassossego dos momentos

Como um ciclo, vão e voltam
Com as estações
Sempre renovadas


Foto: boobibob

32 Comentários:

Blogger hfm disse...

Como as estações... gostei. muito.

terça-feira, 11 janeiro, 2011  
Blogger bonecadetrapos disse...

“Há sempre um prenúncio/De fogo e tempestade/No desassossego dos momentos” (PASol)

Dotada de uma escrita peculiar, intimista, de ritmo curto e de ênfase lato, Piedade de Araújo Sol, ratificou-se, ao longo de 2010, no leque excelso e substantivo dos poetas revelados através da escrita digital, sendo uma das primeiras e das mais constantes blogueiras portugueses, presença generosa, afável e assídua em muitos espaços de escrita.
Neste ano que findou, Piedade Sol, avoluma-se ainda, na coo-participação em antologias poéticas, onde, a sua actualidade renovada, a sua inspiração, a sua subtil eloquência, a par de um lirismo límpido e penetrante, lhe conferem merecido destaque.

Habilíssima na palavra, adopta no poema e na prosa, os antípodas do desespero e da solidão, presença reveladora dos sentimentos mais íntimos, premonitórios e estruturais.

Um ponto de leitura a que retorno assiduamente, que leio e sublinho, que recomendo.

Leituras
“Como um ciclo, vão e voltam//Com as estações//Sempre renovadas”(PASol)

Em premonição e nomenclatura do verbo poético reconsolidado para 2011, felicito-a na obra já feita.

Saudações com elevada estima, maior consideração e admiração.

*__bonecadetraos__*

terça-feira, 11 janeiro, 2011  
Blogger Paula Raposo disse...

Maravilhoso o teu prenúncio! Beijos.

terça-feira, 11 janeiro, 2011  
Blogger Valquíria Oliveira Calado disse...

Muito bonito saber que voltam, com esperanças de novas conquistas, que assim seja, bjinhos.

terça-feira, 11 janeiro, 2011  
Blogger Carlos D disse...

uma poesia que ao se ler e fica-se com vontade de voltar.

terça-feira, 11 janeiro, 2011  
Blogger carlos pereira disse...

Minha querida amiga POETISA Pi;
Um poema de excelência, magnífico.
Parabéns.
Gostei muito.
Um beijo.

terça-feira, 11 janeiro, 2011  
Blogger Nilson Barcelli disse...

As palavras são o teu canto, sempre belo, que vais tecendo, apesar do desassossego do fogo e da tempestade.
Excelente poema, querida amiga. Gostei imenso, mais uma vez...
Beijos.

terça-feira, 11 janeiro, 2011  
Blogger Teresa Durães disse...

responderia... não consigo visualizar o que escreveste. o texto está cortado

quarta-feira, 12 janeiro, 2011  
Blogger Pena disse...

Estimada e Preciosa Poetiza Amiga:
Mais uma gigantesca "explosão" do seu talento de encanto.
Parabéns. É fabulosa e sublime no seu sentir perfeito.
Bem-Haja, pela pureza e beleza dos seus versos profundos de imensa significação doce.
Abraço amigo ao seu sublime e gigante ser.
Com respeito.
Sempre a admirá-la de forma constante e sempre.

pena

Excelente.
Adorei.
Um poema fabuloso do Ciclo perfeito do viver pleno.
Fantástico.

quarta-feira, 12 janeiro, 2011  
Blogger Graça Pires disse...

"Há sempre um prenúncio de fogo e tempestade no desassossego dos momentos" Muito belo! Como se a água e o fogo explicassem o amor e a sua ausência.
Um beijo, Piedade.

quarta-feira, 12 janeiro, 2011  
Blogger Eduardo Aleixo disse...

Tempestade, fogo, desassossego, como ondas que se dissipam nas areias dos pés descalços e dos corpos nus, abertos ao sol suave, à brisa ligeira, ao azul calmo, ao passear dos barcos, como nova onda que nos realibita, fortifica e nos prepara para outras ondas e assim sucessivamente, enquanto a gaivota velha rabisca com seu bico dormente:
- Quando e onde a estabilidade das coisas?
Um beijo, minha querida amiga, e um ano cheio de boa poesia.
Obrigado pelas tuas visitas.

quarta-feira, 12 janeiro, 2011  
Blogger Braulio Pereira disse...

olá Piedade

no mar encontro a suave brisa

no feitiço do teu olhar...

obrigado a ti por dar-me poesia.


beijos Piedade!!

quarta-feira, 12 janeiro, 2011  
Blogger Luis Eme disse...

é mesmo, ha sempre caminhos para a poesia, mesmo para lá da linha do horizonte.

beijinho Piedade

quarta-feira, 12 janeiro, 2011  
Blogger alice disse...

o pretexto da renovação como a primeira grande verdade poética! um grande beijinho, piedade*

quinta-feira, 13 janeiro, 2011  
Blogger A.S. disse...

PI...

Na vida tudo renasce e se renova, apesar da ameaça do fogo e das tempestades...


Lindo o teu poema!

Abraço!
AL

quinta-feira, 13 janeiro, 2011  
Blogger Mar Arável disse...

e assim se faz luz

sexta-feira, 14 janeiro, 2011  
Blogger Filoxera disse...

Ainda bem que vão e voltam.
Sonhos suicidários é que são para irem e não voltarem...
Beijos.

sexta-feira, 14 janeiro, 2011  
Blogger uminuto disse...

em desassossego saboreei este momento de fogo e tempestade que as tuas palavras oferecem
um beijo

sábado, 15 janeiro, 2011  
Blogger Virgínia do Carmo disse...

É preciso que as palavras não nos morram...


um beijinho!

sábado, 15 janeiro, 2011  
Blogger pin gente disse...

também os sonhos poderão reciclar-se?

deixo um beijo., piedade

sábado, 15 janeiro, 2011  
Blogger IMaria disse...

gostei, Piedade, como sempre.

sábado, 15 janeiro, 2011  
Blogger manuela baptista disse...

dos sinais

fogo e tempestade
na sua voz, Piedade

um beijo

manuela

sábado, 15 janeiro, 2011  
Blogger . intemporal . disse...

.

.

. há sempre um prenúncio no declive de cada maré alta .

.

. basta um nome para que nos rare.façamos .

.

. [.a foto é um estrondo, mas não "abafa" a palavra.] .

.

. bom domingo .

.

.

domingo, 16 janeiro, 2011  
Blogger AC disse...

Na incapacidade de descodificarmos tudo o que se vislumbra se desenham cenários de fogo e tempestade...
Sempre bem, Piedade!

Beijo :)

domingo, 16 janeiro, 2011  
Blogger BlueShell disse...

Não deixes que as palavras te "morram na voz"!
Ouvir-te-emos...sempre!
Bj
BlueShell

domingo, 16 janeiro, 2011  
Blogger heretico disse...

que os prenuncios de fogo sejam labaredas e as tempestades se soltem.

até à acalmia.

muito belo.
beijos

domingo, 16 janeiro, 2011  
Blogger Daniel Aladiah disse...

Querida Pi
O desassossego é próprio das almas que buscam... sabemos quão difícil é encontrar...
Um beijo
Daniel

domingo, 16 janeiro, 2011  
Blogger Ana Oliveira disse...

As palavras rodeiam-nos em circulos cada vez mais justos até que o fim seja o principio e os momentos se renovem, ainda que desassossegados.

Um beijo Piedade

segunda-feira, 17 janeiro, 2011  
Blogger tb disse...

Sempre belas e musicais as tuas palavras.
Beijinho Pi

segunda-feira, 17 janeiro, 2011  
Blogger sonho disse...

"Como um ciclo, vão e voltam
Com as estações
Sempre renovadas"
Minha querida tudo vai e vem...renova se constroi se...conquista se...
As palavras hoje morrem te na voz...vão...mas voltam...
Beijo d'anjo

segunda-feira, 17 janeiro, 2011  
Blogger O Árabe disse...

Sempre renovadas, sim... como as próprias emoções. :) Boa semana, amiga!

terça-feira, 18 janeiro, 2011  
Blogger Parapeito disse...

...que se possa sempre renovar...
muito belo:)
brisas mansas para ti***

sexta-feira, 28 janeiro, 2011  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial