terça-feira, 24 de março de 2009

não me magoa o teres partido.

não me magoa o teres partido. por ser inevitável. magoa-me tentar gerir o estado caótico em que deixaste toda a minha filosofia de vida. por teres esfrangalhado todos os meus sonhos em mil cacos. por nunca mais conseguir recuperar os pedacinhos que se estilhaçaram dentro e fora de mim… é só isso que me magoa. por nunca mais ter esses ínfimos fragmentos reunidos, inteiros e nos seus lugares.
.
não me magoa o teres partido, como não me vai magoar o regressares. porque isso também é inevitável.
.
Foto:niedostępna

25 Comentários:

Blogger Paula Raposo disse...

Muitíssimo belas as tuas palavras. Porque é inevitável...muitos beijos.

terça-feira, 24 março, 2009  
Blogger Carla disse...

inevitável esse sentir...como se houvesse um determinismo a que não conseguimos resistir!
beijos

terça-feira, 24 março, 2009  
Blogger Teresa Durães disse...

as partidas dexam-nos sempre desamparados e demora a reconstrução

terça-feira, 24 março, 2009  
Blogger alice disse...

mas o facto de agora escreveres sobre isso ajuda a recolher os cacos que afinal são estas palavras, aqui tão juntinhas, como se nada se tivesse partido, afinal... são os ciclos, amiga piedade. tudo vai e volta :) um grande beijinho.

terça-feira, 24 março, 2009  
Blogger Amaral disse...

Inevitável será o sofrimento interior quando alguém se torna dependente.
A dependência poderá ser a forma mais ineficaz de se conseguir a afirmação do desejo manifesto.
O "eu" de qualquer ser não pode depender de algo nem de ninguém.
Isso retrai, diminui.

terça-feira, 24 março, 2009  
Blogger antónio paiva disse...

...

a vida a juntar fragmentos, não o é, ela, outra coisa, que não isso mesmo.

bj.

quarta-feira, 25 março, 2009  
Blogger Luis F disse...

Gostava de adjectivar este teu momento, as tuas palavras... pensei e tudo o que pudesse dizer, seria pouco, para avaliar a qualidade das mesmas.

Deixo-te o meu aplauso

Com amizade
Luis

quarta-feira, 25 março, 2009  
Blogger Nilson Barcelli disse...

Há coisas das quais não podemos, nem devemos fugir.
Seja da partida e/ou do regresso.
porque há ausências que ninguém as planeou, por exemplo.
Belo texto querida amiga, gostei muito.
Bom resto de semana,
Beijo.

quarta-feira, 25 março, 2009  
Blogger A.S. disse...

Pi...

Tal como um poema que foi lançado ao vento! Palavras dispersas que voltarão como náufragos!


Beijos...

quarta-feira, 25 março, 2009  
Blogger Pena disse...

Oh, Talentosa e Genial Poetisa linda e Amiga:
Existe um certo desencanto existencial provocado por algum contratempo de enorme escritora.
Em tudo o que concebe prima pela pureza e beleza do seu harmonioso Ser e Estar.
Fabuloso, numa fantástica e admirável pessoa gigante.
Parabéns sinceros e sentidos.
Sempre a admirar o seu talento poético gigantesco.

Beijinhos de pasmo pela sua pureza, estima, respeito e agradibilidade que maravilha e deslumbra pelo que "faz"...

pena

Bem-Haja, amiga inconfundível.

quinta-feira, 26 março, 2009  
Blogger pin gente disse...

fui a flor a quem retiraste as pétalas. uma a uma. inalaste o meu perfume a cada puxão de pele. mas tiraste-mo porque to dei. fui tua cúmplice no desnudar da minha vida. sem saber o que de mim iria restar.
hoje, sou um caule em busca de uma nova primavera. hoje, já sem pétalas, sinto-me ainda tua. foram as tuas mãos que me despiram. aguardo que regressem. que tragam consigo um manto para me cobrir os ombros. assim me vou alimentado de saudades. assim me vou recompondo de verdades. assim te espero... até um dia voltar a ser feliz.


um beijo, piedade
(desculpa-me a ausência)
beijo
luísa

quinta-feira, 26 março, 2009  
Blogger Helena Paixão disse...

Triste e muito sentido este texto… e que dizer da escrita? Linda!
Bjs

quinta-feira, 26 março, 2009  
Blogger Maripa disse...

"não me magoa o teres partido,..."...mas eu sinto as palavras tristes,magoadas,chorosas.

Ou sou eu que estou chorosa demais?

Beijinho,Pi querida.

quinta-feira, 26 março, 2009  
Blogger Pena disse...

Linda Amiga:
Penso já ter comentado este soberbo e significativo poema saído da sua extraordinária sensibilidade.
Desejo-lhe felicidades imensas na sua vida. Merece, sim! Por completo.
OBRIGADO pela simpatia no meu blog. Adorei! Uma simpatia de sonhar...
Beijinhos amigos de respeito imenso.
Sempre a admirá-la

pena

sábado, 28 março, 2009  
Blogger Pedro S. Martins disse...

e sonha-se com o deixar de o ser, inevitável.

sábado, 28 março, 2009  
Blogger joão marinheiro disse...

E assim se vive...
Sempre intensas as tuas palavras ditas...
beijo de mar

sábado, 28 março, 2009  
Blogger Peter Pan disse...

Linda Amiga:
Como diria o Pena, simplesmente admirável de talento poético ímpar.
Beijinhos amigos e saudações cordiais...

p.p./Pena

Bem-Haja!
Uma poesia de imensa significação na mensagem que transmite.
De forma extraordinária.
Fantástica!

domingo, 29 março, 2009  
Blogger bonecadetrapos disse...

Entre o chegar e o partir, Piedade, existe o mar. O que nós somos. E isso é inquestinável. A questão está muito na forma como nos navegamos. E nos navegam.

Do seu texto: sua admiradora confessa. Assino!

Saudações com estima
*___bonecadetrapos___*

domingo, 29 março, 2009  
Blogger heretico disse...

voláteis as formas que incarnamos. sempre...

gostei de ler.

beijos

segunda-feira, 30 março, 2009  
Blogger Graça Pires disse...

Inevitável é a poesia que pões em tudo o que escreves.
Um beijo.

segunda-feira, 30 março, 2009  
Blogger O Profeta disse...

Do Poeta!
Este ser de contentamento descontente
Que faz da contradição uma rua
Feita da palavra resistente

Que abre os braços aventura
À viagem da emoção plena
Que chora em cais de espera
Que sorri ao afago de brisa terna


Boa semana


Mágico beijo

segunda-feira, 30 março, 2009  
Blogger Élio - Filomena disse...

Magníficas palavras!

É inevitável regressar para o que nos faz bem.

Beijos..

segunda-feira, 30 março, 2009  
Blogger Fragmentos Betty Martins disse...

.________querida Pi


.algumas



________vezes.detinha-se de súbito


permanecia.imóvel uns minutos________


.erguia os olhos ao___céu


.e



repentinamente______como tomada de espanto


_____baixava-os e voltava para "casa"


.dali a pouco
via-se o fulgor da lâmpada das janelas

.e

muitas vezes _____aquela claridade

__________durava toda a noite____...


______///



amei verdadeiramente este teu poema

(não podia passar sem o comentar)



beijO_____ternO

terça-feira, 31 março, 2009  
Blogger Porcelain Doll disse...

É curiosa essa sensação de estilhaços que se sente... é mesmo como se algo se tivesse partido dentro de nós...

quinta-feira, 02 abril, 2009  
Blogger Frederico de Ornelas disse...

Pessoalmente ainda me custa acreditar que um dia possa haver partidas.
Em todo o caso excelentes composições, poesia de amor, com sentimento, gosto muito.
( Pedindo também desculpa pela intromissão, apenas passeio por sítios destes)

quarta-feira, 08 abril, 2009  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial