terça-feira, 17 de março de 2009

A quietude das águas

O poeta chegou em Março, com o frio e a neve ainda no sangue.
Pediram-lhe que falasse da quietude das águas.
Ele sorriu, porque sabia que do sossego
nada sabia. Nele, só existiam inquietações e tormentas.
O poeta olhou o céu e sentiu frio. Foi nessa altura que se olhou, já de pé, num banco de pedra.
E falou do choro dos outros.
Alguns repararam que o poeta estava completamente nu.

©Piedade Araújo Sol 
.
Foto_MPA

26 Comentários:

Blogger Amaral disse...

Somente o poeta tem o dom especial de trazer a magia de mundos distantes.
O poeta é o ser imortal que imortaliza o que vê, que sente o que toca, que torna real tudo o que não pode ser real...
O poeta vive na quietude das águas e no ribombar dos céus sombrios...
Mas o poeta sorri quando chora a sua pena... e chora cada verso quando canta a tristeza...

terça-feira, 17 março, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

a quietude líquida em contraste com o mar revolto dentro do peito do poeta :) gostei muito, piedade. também reparei que ele estava nu! beijinho grande.

terça-feira, 17 março, 2009  
Blogger Paula Raposo disse...

Só desnudando-nos podemos falar do que sentimos...gostei muito. Beijos.

terça-feira, 17 março, 2009  
Blogger antónio paiva disse...

...

despido de sentido de análise, li e gostei de ler.

bj

terça-feira, 17 março, 2009  
Blogger Teresa Durães disse...

O poeta não poderá ter um momento de calmia e observar a natureza à sua volta tal Alberto Caeiro?

terça-feira, 17 março, 2009  
Blogger bonecadetrapos disse...

Só o poeta pode estar nu perante as inquietações de si e sentir a quietude maior.

Só o poeta sente o respirar da pedra pelas furnas da memória. E Março acontece. No frio e na demora. Mas o poeta prossegue. Dá-se à espera.

Saudações, com estima
*__bonecadetrapos__*

terça-feira, 17 março, 2009  
Blogger mateo disse...

Nu na aparência como se fosse possível vesti-lo com a nossa roupa.
Poeta adentro... existem as dúvidas e as re_voltas.
Beijo.

terça-feira, 17 março, 2009  
Blogger Carla disse...

porque o desassossego é apanágio de quem se alimenta das palavras feitas poesia...e com elas vive e com elas morre
por isso o poeta estava nú
beijos

terça-feira, 17 março, 2009  
Blogger Peter Pan disse...

Linda Amiga:
Um pensar e sentir belos num poema maravilhoso.
Os poetas choram sempre os outros com o seu choro repleto de veracidade e encanto. De fascinar e sensibilizar numa poetisa sensível que faz parte dele, do belo e mágico sonho das deliciosas e brilhantes palavras que "comanda" com doçura e ternura.
Sublime. Lindo. Saído de uma interioridade deslumbrante de pureza e beleza.
Adorei! Fabuloso.
Beijnhos de amizade e respeito.
Com admiração e consideração gigantes


p.p.

Peter Pan é um heterónimo de Pena.
Bem-Haja, amiguinha. Para os seus também.

terça-feira, 17 março, 2009  
Blogger meus instantes e momentos disse...

O poeta anda nú, vive nú apesar das roupas.
Maurizio

quarta-feira, 18 março, 2009  
Blogger Pedro S. Martins disse...

nu e retumbante no seu próprio silêncio.

quarta-feira, 18 março, 2009  
Blogger Pena disse...

Linda Amiga:
Todos os poetas são mágicos.
"Sentem" a "vida" com intensidade. Pureza e Beleza, como o faz aqui.
Movido pela sua sensibilidade encantadora de "construir" versos extraordinários, um Bem-Haja gigante.
Beijinhos pelo tesouro que é em lindas poesias sensíveis e doces que "moram" em si.
Com imenso respeito e estima.
Sempre a admirá-la

pena

quinta-feira, 19 março, 2009  
Blogger Nilson Barcelli disse...

Este teu texto/poema é muito pessoano.
O poeta é um fingidor...
Mas pode ficar nu, porque, mesmo fingindo, acaba por falar de si próprio.

Excelente cara amiga, gostei muito.

Bom resto de semana,
Beijo.

quinta-feira, 19 março, 2009  
Blogger CNS disse...

Só na própria nudez se pode falar do choro dos outros...

Belíssimo.

um beijo

quinta-feira, 19 março, 2009  
Blogger Peter Pan disse...

Extraordinária poetisa de sonho:
OBRIGADO pela sua simpatia no meu blog que sei está a ser de difícil acesso. MUITO OBRIGADO, amiga.
Não é para retribuir.
Beijnhos amigos cordiais de respeito e admiração...
Sempre a estimá-la

p.p.

OBRIGADO pela sua simpatia.
Lê-la é um sonho...mágico!

quinta-feira, 19 março, 2009  
Blogger Élio - Filomena disse...

O poeta é como o príncipe das nuvens. As suas asas de gigante não o deixam caminhar...mas diante de um grande poeta, tem-se a sensação de que as coisas que permaneceram escondidas no caos emergem...

Beijos..

sexta-feira, 20 março, 2009  
Blogger Silvestre Raposo disse...

deixo um beijo a esta poeta minha amiga ...a nudez nos poetas deixa que se veja a alma...beijinho Piedade

sexta-feira, 20 março, 2009  
Blogger A.S. disse...

Querida PI...

Só a nudez revela a verdade absoluta!...


Abraços... e bom fim de semana!

sexta-feira, 20 março, 2009  
Blogger ☆Fanny☆ disse...

E quando o poeta se veste de palavras, desnuda-se na alma...transparência do EU que nos embala.

...

Pintam-se quadros coloridos na natureza
Reinam as flores que nascem nos campos
Imperam jardins no olhar, beleza
Mágica que nos anima o coração
Arco-íris desenhados no horizonte
Vêm quando a chuva ainda desce das nuvens
E os girassóis giram com o Sol
Riem as papoilas rubras que brotam sem rumo
A alma veste-se de poesia e vida.
(Fanny)


FELIZ PRIMAVERA!
FELIZ DIA DA POESIA!

Um abraço florido de amizade*

sábado, 21 março, 2009  
Blogger Carla disse...

Só alguns reparam na nossa nudez.

domingo, 22 março, 2009  
Blogger Daniel Aladiah disse...

Querida Pi
... e nu, chorou, porque sentia as dores dos outros, enquanto as suas se transmutavam na poesia...
Um beijo
Daniel

domingo, 22 março, 2009  
Blogger Pena disse...

Linda Amiga:
Este "poeta" é simplesmente, delicioso. Repleto de ternura e carinho.
As palavras parecem mágicas e seleccionadas com o seu encanto. Encanto imenso.
Adorei!
Com respeito e estima
Beijinhos de amizade pura


pena

Bem-Haja, Amiga, tem uma sensibilidade linda. Fantástica. Parabéns sinceros.

domingo, 22 março, 2009  
Blogger Fragmentos Betty Martins disse...

.______querida Pi



.o






poeta______vestido




com a______"ausência" das palavras

tendo.o______manto sobre os ombros_____do desassossego________...



__________///








beijO_____ternO

domingo, 22 março, 2009  
Blogger Delfim Peixoto disse...

Um doce poema...
Bj

segunda-feira, 23 março, 2009  
Blogger Graça Pires disse...

Falou do choro dos outros, o poeta, por saber que a poesia é feita com o desassossego dos dias. Em sua nudez se vestem os poemas.
Muito belo. Um beijo.

segunda-feira, 23 março, 2009  
Blogger Porcelain Doll disse...

Que sabe o poeta de sossego? Tão pouco... a alma que não está em desassossego nada tem que contar... o poeta chega com a Primavera, para falar dos desassossegos do Inverno... com a Primavera pode soltar a sua voz e falar do que a reclusão do Inverno ensinou... fala do choro dos outros, que é o seu próprio choro, ou jamais conseguiria falar dele... apenas alguns conseguem ver a sua nudez... já que o verdadeiro poeta se desnuda a cada poema... mas só alguns conseguem percebê-lo...

quinta-feira, 02 abril, 2009  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial