terça-feira, 25 de abril de 2006

Chegaste sem avisar




Chegaste sem avisar
Era tarde, eu não sabia

Tive medo ao descobrir
Outro mundo em teu olhar

Joguei fora meu sentir
Quis navegar no teu mar

Minha alma errante,
Barco à deriva do teu pensar

E ergueste ventos, lancinante
Em meu tranquilo existir

Vagas de um mar revolto
Sentires desencontrados

Muitas rotas sem retorno
Fim sem sequer começar

Fui onda sem revolta
Mansidão a contemplar

Naveguei sem rota
Sem céu estrelado a guiar

Meus passos, na escuridão,
Deixei tão incertos

Cedi sedenta ao coração
Ignorei as lágrimas destes olhos, tão abertos

Amarfanho em minhas mãos
Meu sentir, e meu pesar

Não navegarei no teu mar
Não terei onde aportar

Percebo-te longinquo, sem voltar
Sobre o vento que ainda ergues

De mãos etéreas, encrispadas,
Chegaste sem avisar...


(parceria de Andreia Reis (AR) e Piedade Araújo Sol )



13 Comentários:

Blogger wk13 disse...

http://vagueandoporti.blogspot.com/

Fragmentos…..

Aqui deixo uns fragmentos, aguardando colaboração para os complementar e completar.

Considero que a tua opinião, a tua vivência é importante, por isso o desafio.

Aceita-o …..

As relações amorosas têm muitas versões,

terça-feira, 25 abril, 2006  
Blogger oalcoviteiro disse...

hum, bom dia,

quarta-feira, 26 abril, 2006  
Blogger Clife disse...

Uma parceria que deu um excelente resultado (: *

quarta-feira, 26 abril, 2006  
Blogger Vanda Baltazar disse...

Que te poso dizer? mergulhei no teu mar e sentir, reconheco as rotas de que falas e os portos onde nunca poderemos segurar amarras...

talvez afinal a vida seja mesmo assim...

um beijo de azul infinito, desta marinheira de agua doce que me tornei :)

Van

quarta-feira, 26 abril, 2006  
Blogger joão marinheiro disse...

OLá Pi e companhia...
As vezes dou-me conta que se chega a um lugar sem aviso. Geralmente andamos demasiadamente distraidos para nos darmos conta ou lhe darmos conta...
Mais tarde conta a ausência o vazio, quando verdadeiramente nos damos conta dessa existencia paralela que estava ali...
São muitos faz de conta...
Confesso que isso se passa com os barcos q amo, pelos quais luto inglorio faz anos para que não se percam na memória de vêz, mas é uma luta em solitário quase...Por isso entendo essa partilha de palavras presentes...
Abraço agora que rumo a mares mediterráneos...

quinta-feira, 27 abril, 2006  
Blogger Jotabê disse...

Uma poesia bem adequada à chegada d'uma paixão. Muito giro.

1 Bj

quinta-feira, 27 abril, 2006  
Blogger hl disse...

Lindoooooooooooooooooooo:)
Beijinhos

sexta-feira, 28 abril, 2006  
Blogger Daniel Aladiah disse...

Querida Piedade
Avisei que não chegaria... era cedo e eu sabia...
Um beijo
Daniel

sexta-feira, 28 abril, 2006  
Blogger DE PROPOSITO disse...

Ler, reler e tentar compreender.
Manuel

sexta-feira, 28 abril, 2006  
Blogger ≈♥ Nadir ♥≈ disse...

Ando meio ausente das visitas diárias... mas deixo um beijo e votos de um bom fim de semana

sexta-feira, 28 abril, 2006  
Blogger A.J.Faria disse...

Nada como acontecer surpresa, em vidas invadidas pela rotina, pelo previsível!
Bonito poema.
Bjs

sábado, 29 abril, 2006  
Blogger andre rodrigues disse...

Mais do que agradecer a tua visita à minha 'humilde casinha', quero dizer-te com toda a sinceridade que este blog é... lindo...

Sabes, eu adoro o mar... na Póvoa de Varzim ele está mesmo aqui ao lado... convidativo e o cheiro a maresia é uma constante... e que bom é senti-lo nas noites quentes de Verão a passear com os amigos junto à marginal.

E quanto a este poema... o que dizer? Que a parceria valeu a pena... saboreei cada palavra e adorei...

A partir de hoje estás na minha rota...

Beijos :)

André

sábado, 29 abril, 2006  
Blogger as velas ardem ate ao fim disse...

Sinceramente adorei a musica, os tons os poemas, tudo enfim.Muitissimo obrigada.

sábado, 29 abril, 2006  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial