terça-feira, 1 de agosto de 2017

das sombras


das sombras
que em mim habitam, deixo-as  espalhadas
muitas vezes em  parte incerta,
pelo chão que caminho,

sei que o sol abraça as pedras,
e as areias,
mesmo em temporais,
mesmo em tempo de  bonanças,

e os meus olhos são os mesmos,
só os tempos é que não, 
e a claridade do dia fere os meus olhos …

©Piedade Araújo Sol 2017-07-31

21 Comentários:

Blogger Cidália Ferreira disse...

Que bonito!!

Beijinhos

terça-feira, 01 agosto, 2017  
Blogger Marta Vinhais disse...

Tudo muda... mas há o Sol, as sombras seguem-nos....

Lindo...
Beijos e abraços

Marta

terça-feira, 01 agosto, 2017  
Blogger Elvira Carvalho disse...

Férias interrompidas por uns dias, eis-me de visita aos amigos.
O tempo na sua marcha constante vai mudando o aspeto das coisas e pessoas. O pior é que nem sempre o nosso espírito acompanha a mudança.
Um abraço

terça-feira, 01 agosto, 2017  
Blogger Nidja Andrade disse...

Sombras são marcas que nos acompanham em todos os momentos de nossas vidas. Todas, é claro, com sentidos diferentes. AbraçO

terça-feira, 01 agosto, 2017  
Blogger Agostinho disse...

Olá, Piedade,
não usastes pestanas postíças, maquilhagem, nem sequer adiantava um risco a sublinhar, tal é evidente, clarividente a beleza da poesia que aqui trouxeste.
Gostei de_ve_ras.

Depois da maturação dos frutos
os relâmpagos vindos do mar
Nos olhos magoados pisados
sobrevém a traiçoeira sombra
que aumenta ao pôr-do-Sol

Beijo.

terça-feira, 01 agosto, 2017  
Blogger José Carlos Sant Anna disse...

O tempo, corpo magro ou gordo, se desloca no ar, água limpa que não volta, mas a luz do seu poema, linguagem sedimentada, ilumina o que tem pela frente como a claridade do dia!
Beijinhos, Piedade!

terça-feira, 01 agosto, 2017  
Blogger Franziska disse...

Hermosos versos en busca de la verdad interior y una bella imagen, sin duda, que apoya a las palabras. Grato ambiente musical. Gracias. Un abrazo. Franziska

terça-feira, 01 agosto, 2017  
Blogger mz disse...

Gosto do sol a abraçar as pedras e as areias e com ele, o teu poema tem uma luz própria.

bjs



terça-feira, 01 agosto, 2017  
Blogger A Casa Madeira disse...

Belo.
Amei os barquinhos.
Boa entrada de mês.
janicce.

terça-feira, 01 agosto, 2017  
Blogger Luis Eme disse...

O Sol deixa sempre espaço para as sombras...

abraço Piedade

terça-feira, 01 agosto, 2017  
Blogger Mar Arável disse...

Deixa que a sombra
no chão
se rebente

terça-feira, 01 agosto, 2017  
Blogger Graça Pires disse...

As sombras que nos perseguem... Às vezes é preciso voar bem alto para que elas desapareçam...
Um magnífico poema, Piedade.
Beijo grande.

quarta-feira, 02 agosto, 2017  
Blogger Os olhares da Gracinha! disse...

Um poema lindo como sempre! Bj

quarta-feira, 02 agosto, 2017  
Blogger Victor Barão disse...

das sombras interiores à claridade do dia que fere os olhos, os mesmos olhos em tempos diversos...

Um poema muito completo!

beijo :)

quinta-feira, 03 agosto, 2017  
Blogger Jaime Portela disse...

Fico sempre encantado (e admirado) quando aqui venho. Porque a fazer poesia há tantos anos e continuas brilhante.
Este é mais um dos teus magníficos poemas.
Um bom fim de semana, amiga Piedade.
Beijo.

sexta-feira, 04 agosto, 2017  
Blogger Gaby Soncini disse...

Que poesia!
Que imagem!
Saudades!

Abraços!

sábado, 05 agosto, 2017  
Blogger Fá menor disse...

Muito bonito.
As sombras resultam da luz, embora muitas das vezes a claridade possa ferir os olhos. Devemos proteger-nos de outras luzes e de outras sombras.

Boa semana!

Beijinhos

domingo, 06 agosto, 2017  
Blogger Majo Dutra Rosado disse...

São tempos difíceis, esses em que a luz solar
incomoda sobremaneira os olhos...
Felizmente os tempos de padecimento são finitos
e as suas sombras por pertencerem ao passado
devem ser descartadas, sim.
Belo poema, querida amiga.
Beijo
~~

domingo, 06 agosto, 2017  
Blogger Raquel disse...

Que bom, mesmo havendo sombras, sabemos sempre que também há luz. Boa semana!

segunda-feira, 07 agosto, 2017  
Blogger O Árabe disse...

Lindo Piedade... e verdadeiro. Quantas vezes, quando os tempos mudam, a claridade do dia fere os nossos olhos! Boa semana, amiga.

segunda-feira, 07 agosto, 2017  
Blogger Ana Freire disse...

E a claridade fere... para fazer a diferença... e para que as sombras deixem de ferir ainda mais, onde a luz não chega...
Mais um belíssimo trabalho, onde a sensibilidade, impera...
Beijinhos
Ana

domingo, 13 agosto, 2017  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial