terça-feira, 8 de agosto de 2017

da ingratidao


que ficou…edificada nos  silêncios
carregados de ruínas
em gestos parados
imóveis em novelos de poeiras.

agora, existem  apenas vazios
preenchidos com nadas
sufocados na garganta
num grito inaudível.

©Piedade Araújo Sol 2017-08-08

12 Comentários:

Blogger Os olhares da Gracinha! disse...

É que a ingratidão é um sentimento mui ruim!!!
Bj e gosto

terça-feira, 08 agosto, 2017  
Blogger Agostinho disse...

Boa tarde, Piedade. Refinada e significativa.
Não havendo leituras definitivas e intemporais na poesia o som que se apanha depende da modulação das metáforas e símbolos. Tu coloca-los estrategicamente. Mas, sempre se podem adivinhar prévios movimentos estivais, a inclusão-exclusão de sentimentos, a regressão-expansão de almas, de fragmentos de vida.
Os dias imperfeitos acumulam-se em castelos de desilusão e pó, de esquecimento. Os nadas ficam lacrados no baú das coisas inconfessáveis e a demência cresce. Não há copo de água que aclare a voz que não existe! E se duma margem se grita a torrente de silêncio silencia, e anula, a mão que se dá. Da outra que não ouve, nem dá, não se espere gratidão.

Beijo.

terça-feira, 08 agosto, 2017  
Blogger Graça Pires disse...

Mas ouve-se o grito que a garganta sufocou porque os vazios deixam passar os silêncios gritados...
Maravilhoso, Piedade!
Uma boa semana.
Um beijo.

terça-feira, 08 agosto, 2017  
Blogger Cidália Ferreira disse...

Lindo! profundo. Adorei,

Beijinhos

terça-feira, 08 agosto, 2017  
Blogger Marta Vinhais disse...

Esses pequenos nadas... magoam tanto....
Mas temos que gritar para que o amargo não fique na boca....
Lindo...
Beijos e abraços
Marta

terça-feira, 08 agosto, 2017  
Blogger Victor Barão disse...

Não sei bem porquê ou talvez até sim... identifico-me com este poema... sem confissão de ingratidão da minha parte, por vezes guardo "silêncios carregados de ruínas", mesmo quando me sinto grato... pronto afinal sempre confessei alguma coisa, quiçá "num grito inaudível", por via de "da ingratidão"...
Belíssimo
Beijo :)

quarta-feira, 09 agosto, 2017  
Blogger Majo Dutra Rosado disse...

Uma contusão de alma muito dolorosa, inesquecível
e difícil de perdoar...
Sentimentos muito bem explícitados neste poema,
expressivo do singular talento da autora.
Beijos.
~~~

quarta-feira, 09 agosto, 2017  
Blogger Tais Luso disse...

Querida Piedade, difícil externar esse sentimento, confesso que lido mal com ele, alguns sentimentos ruins, dominamos, outros não. Teu poema, deixa transparecer nas entrelinhas esse sentimento, porém, como tudo que você escreve vem carregado de emoções.
Beijo, querida.
Até mais.

quinta-feira, 10 agosto, 2017  
Blogger Franziska disse...

Que el grito sea un silencio es una imagen llena de una fuerza impresionante. Hermoso poema. Saludos muy afectuosos y cordiales. Franziska

sexta-feira, 11 agosto, 2017  
Blogger Ana Freire disse...

um sentir, nada fácil de suportar... mas aqui, brilhantemente, transposto em palavras... gostei imenso do poema!
Beijinhos, Piedade! Bom domingo!
Ana

domingo, 13 agosto, 2017  
Blogger O Árabe disse...

Belo poema, Piedade... é bem isso, que a ingratidão provoca em nós! Boa semana, amiga.

segunda-feira, 14 agosto, 2017  
Blogger Cidália Ferreira disse...

Lindo!Amei

Beijo e uma excelente semana.

terça-feira, 15 agosto, 2017  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial