terça-feira, 27 de junho de 2017

por vezes a saudade é boa...

karen hollingsworth

os dias passam velozes e é à noite,
dentro do silêncio que se impõe,
à secreta construção de tudo
o que é doce,
e tão necessariamente imóvel,
que sem querer eu abro as gavetas das memórias,

e sobra, sempre  a saudade com seu manto diáfano,
que cobre os meus dedos insurgentes,
que escrevem lentamente,
ante a insónia cavada e constante,
como um rochedo,
estilhaçando a nitidez da manhã,

e eu restituo ao silêncio a nudez,
das cores entre o verde e o cinza,
e a saudade ganha perímetros de maciez,
num mar imenso em que me afundo lentamente,
e em que consigo emergir incólume e purificada.

por vezes a saudade é boa e doce...

©Piedade Araújo Sol 2017-06-26

26 Comentários:

Blogger Victor Barão disse...

A silenciosa quietude da noite, se acompanhada de insónia, presta-se a muita coisa, inclusive à saudade, como tal desejavelmente "boa e doce..."
Excelente semana e saudosamente melhores recordações
Beijo

terça-feira, 27 junho, 2017  
Blogger Franziska disse...

A veces la tristeza es buena y dulce pero no siempre. Me ha parecido un bellísimo instante por el fondo musical, la imagen y las palabras que armonizan en todo momento con la atmosfera que transmite esta entrada, Un acierto. Saludos cordiales. Franziska

terça-feira, 27 junho, 2017  
Blogger Cidália Ferreira disse...

Soberbo poema! Amei

Bom dia
Beijos

terça-feira, 27 junho, 2017  
Blogger Luis Eme disse...

É por isso que continuamos a ter saudades...

abraço Piedade

terça-feira, 27 junho, 2017  
Blogger Agostinho disse...


"A saudade ganha perímetros de maciez"!
A poeta releva um estado de alma que requer a ousadia da espera; à noite quando, na harmonia do suor, o silêncio canta perfeito no linho puro da memória faz-se (talvez) o tempo real: a transfarência da vidraça junta pássaro e gata.

Bj

terça-feira, 27 junho, 2017  
Blogger Elvira Carvalho disse...

É na quietude da noite que a saudade, se torna mais pressente e insistente.
Um abraço

terça-feira, 27 junho, 2017  
Blogger Smareis disse...

Um poema saudoso, lindamente escrito. União perfeita, imagem e poema.
Beijos e boa semana!
Escrevinhados da Vida

terça-feira, 27 junho, 2017  
Blogger Os olhares da Gracinha! disse...

Por acaso eu acho que a saudade é boa e doce!!!
Bj e gosto

terça-feira, 27 junho, 2017  
Blogger Marta Vinhais disse...

E escreve-se com a alma... Deixa fluir os pensamentos lentamente, saboreia-se....
Porque, apesar da saudade, não se está só...
Lindo...
Beijos e abraços
Marta

quarta-feira, 28 junho, 2017  
Blogger (CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Concordo com você, "por vezes a saudade é boa". Saudade só se tem do que foi bom. beijos.

quarta-feira, 28 junho, 2017  
Blogger Aleatoriamente disse...

Ah Pi "por vezes a saudade é boa`"
Mas a minha já não cabe em mim, ela já achou um "porão" lá dentro para crescer e me tomar para si.
A minha saudade dói, dói a alma.
A tua é linda feito arco-íris.
Amei!

Beijinho

quinta-feira, 29 junho, 2017  
Blogger Louraini Christmann - Lola disse...

Sim, por vezes a saudade é boa...
Ando chorando uma saudade ainda ruim, ruim, ruim...
Eu sei que daqui a um tempo ela será boa, por vezes...

Me fez bem a tua poesia.

abraço
Lola

quinta-feira, 29 junho, 2017  
Blogger Majo Dutra Rosado disse...

Sim, quando o período ausente é breve, a saudade pode ser deliciosa...
Também o é quando não investimos eternidade...
Um poema muito expressivo e singular.
Abraço, estimada Pi Sol.
~~~~

sexta-feira, 30 junho, 2017  
Blogger Pedro Luso disse...

Parabéns pelo belíssimo poema.
Um abraço, Piedade.
Pedro

sexta-feira, 30 junho, 2017  
Blogger Jaime Portela disse...

Há saudades e saudades...
Um poema belíssimo, gostei imenso.
Piedade, um bom fim de semana.
Abraço.

sexta-feira, 30 junho, 2017  
Blogger José Carlos Sant Anna disse...

Na delicadeza do poema ouvimos a passagem do ar na nudez do silêncio e na leve espessura da sua dicção. Belíssimo, Piedade! Põe este na minha conta (rsrs)!
Beijinhos,

sexta-feira, 30 junho, 2017  
Blogger Ana Freire disse...

Uma belíssima e doce nostalgia, que as memórias suscitaram... muitíssimo bem traduzida em palavras...
Como sempre, de leitura encantadora!...
Gostei muito! Beijinhos, Piedade!
Desejando-lhe um óptimo fim de semana!...
Ana

sábado, 01 julho, 2017  
Blogger Graça Pires disse...

Na nudez do silêncio há saudades que têm a identidade dos sonhos...
Um belíssimo poema minha Amiga Piedade.
Bom fim de semana.
Um beijo.

sábado, 01 julho, 2017  
Blogger Rita Freitas disse...

A saudade, que pode ter tanto de triste como de belo, e descrita de forma tão bonita nestas palavras.

Beijinhos e boa semana

domingo, 02 julho, 2017  
Blogger Maré Viva disse...

A saudade é assim...doce, se nos lembra coisas boas, menos doce, se traz até nós lembranças dolorosas, mas é sempre nostálgica, porque não podemos voltar atrás!
Felizmente faz parte do mais intimo de todos nós, e este belo poema é a prova disso.
Um abraço.

domingo, 02 julho, 2017  
Blogger Maré Viva disse...

A saudade é assim...doce, se nos lembra coisas boas, menos doce, se traz até nós lembranças dolorosas, mas é sempre nostálgica, porque não podemos voltar atrás!
Felizmente faz parte do mais intimo de todos nós, e este belo poema é a prova disso.
Um abraço.

domingo, 02 julho, 2017  
Blogger Maria Rodrigues disse...

Concordo plenamente.
Maravilhoso poema.
Beijinhos
Maria de
Divagar Sobre Tudo um Pouco

domingo, 02 julho, 2017  
Blogger Sinval Santos da Silveira disse...

Oi, Piedade Araujo Sol !
Ainda aprenderei a ter a tua saudade, que é doce.
As minhas sempre me maltratam, de tão amargas que são...
Uma feliz semana, querida, com o meu fraterno abraço,
aqui do Brasil.
Sinval.

segunda-feira, 03 julho, 2017  
Blogger O Árabe disse...

Verdade, Piedade: a saudade, muitas vezes, tem em si o seu próprio lenitivo. E o dizes da forma poética que em ti é tão natural! Belo post, boa semana.

segunda-feira, 03 julho, 2017  
Blogger Tais Luso disse...

Saudade... Por diversas vezes pensei nesta palavra como sendo das mais melodiosas e bonitas de nossa língua. Mas não estive pensando só na sua fonética, mas também em seu significado.
Saudade é um sentimento que aperta o coração por resgatar as coisas boas e significativas e que não voltam mais. Porém, ela aparece na maioria das vezes num momento em que estamos meio enfraquecidos, num momento de insatisfação, de algo que não está bem...
Às vezes sinto saudades da minha inocência.
Belíssimo poema, Piedade!

Beijo, querida, ótima semana.

segunda-feira, 03 julho, 2017  
Blogger AC disse...

Na subtileza das cores
os sentidos emergem
naturalmente
como se a alma
eterna
pudesse vogar por entre o mais íntimo das coisas...

Um beijinho, Piedade :)

segunda-feira, 03 julho, 2017  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial