terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Mensagem

 Diggie Vitt

Dizes que já não converso com as palavras
mas, eu aprendi que sem elas não sou ninguém
por isso mesmo que o comboio passe
e leve a passageira que por vezes sou eu
digo que nunca estou só, porque aprendi a viver
em função delas -  as palavras.
Saem por vezes amargas e cheias de desdém,
outras vezes,  dóceis deslizando em cascata
como as águas.
E o tempo passa voraz,
ou eu passo pelo tempo, mas elas ficam
aquém ou além da margem.
Dizes que é assim, que elas apaziguam o dia,
e na noite em que os silêncios imperam,
elas podem desobstruir os sonhos,
e voarem para além da escarpa,
onde o calor fenece e o frio golpeia.
Mas, não me peças palavras que não lês
ou lês, e finges que não entendes,
porque serei eu em completo desalinho,
que as guardo cá dentro,
e quando  explodem , não é no peito
mas na folha inocente que tenho sempre
sobre a mesa…

© Piedade Araújo Sol 2017-02-13

18 Comentários:

Blogger O Árabe disse...

... e quanto às vezes nos doem, Piedade, as palavras que guardamos, antes que finalmente as coloquemos na folha inocente sobre a mesa! Mais um belo texto, amiga; obrigado. Boa semana!

terça-feira, 14 fevereiro, 2017  
Blogger Luis Eme disse...

Grande mensagem...

abraço Piedade

terça-feira, 14 fevereiro, 2017  
Blogger Agostinho disse...

A poeta confia necessariamente, sempre, na disponibilidade de uma folha em branco onde verte a cor dos dias.

Princípio ou fim?
Depende se o copo se estilhaça
de frio e derrama as lágrimas acumuladas.
Se esgotadas e os olhos se incendeiam
de ódio definitivamente.
Fatalmente há um glaciar em movimento...
Princípio ou fim de (n)amor(o)?

Bj.

terça-feira, 14 fevereiro, 2017  
Blogger Cidália Ferreira disse...

Lindo, lindo!!

Beijo e um dia de S. Valentim muito feliz.

terça-feira, 14 fevereiro, 2017  
Blogger Marta Vinhais disse...

As palavras perduram... Para amarem e serem amadas...
Quando isso não acontece....perdem o rumo e desaparecem...
Lindo...
Beijos e abraços
Marta

terça-feira, 14 fevereiro, 2017  
Blogger Os olhares da Gracinha! disse...

Uma inquietude poética interessante Piedade!!!
bj

terça-feira, 14 fevereiro, 2017  
Blogger Elvira Carvalho disse...

Um belo poema, Piedade.
Um abraço

terça-feira, 14 fevereiro, 2017  
Blogger Rogerio G. V. Pereira disse...

Palavras amargas e de desdém?
Outras, dóceis?

Fala-me mais dessa folha inocente
Fala-me, sobretudo
de palavras-adubo,
de palavras-semente

Me assino

um pedinte de palavras

quarta-feira, 15 fevereiro, 2017  
Blogger Arthur Claro disse...

Muito bom este post.

Arthur Claro
http://www.arthur-claro.blogspot.com

quarta-feira, 15 fevereiro, 2017  
Blogger Maré Viva disse...

Um poema perfeito que me diz muito, porque como tu, eu amo as palavras e quando elas me faltam, é porque algo vai muito mal e eu fecho-me dentro de mim e hiberno.
Beijos.

sexta-feira, 17 fevereiro, 2017  
Blogger Majo Dutra disse...

Na minha opinião as palavras são sempre belas e indispensáveis,
o que varia é a sua organização e o tom e sentimentos
com que são expressas...
Um belo e expressivo poema dedicado às palavras,
enquanto companhia diária indispensável.
Abraço, Piedade.
~~~~~~~~~~

sexta-feira, 17 fevereiro, 2017  
Blogger Aleatoriamente disse...

Palavras, que tocam cada vez mais por dentro num emaranhado interno.
Um nó na garganta aflição no peito.
E então cuspindo o engasgo
elas escorrem levemente pelos dedos.
Lindo moça querida
você escreve com amor eu sinto daqui.

Beijinho Pi

sábado, 18 fevereiro, 2017  
Blogger Toninho disse...

Que lindo Piedade!
São as palavras suas companheiras e por certo testemunhas de suas inspirações mais aceleradas naquelas noites, que parecem lhe fugir, mas na realidade estão a fluir como um rio para o mar e voce as rebanham para o papel fiel escudeiro de seus devaneios.
Lindo Domingo amiga querida.
Bjs de paz.

domingo, 19 fevereiro, 2017  
Blogger Ana Freire disse...

E por aqui, as palavras sempre têm um alcance imenso... em verdadeiras explosões de talento...
Mais um belo e arrebatador trabalho, Piedade!
Beijinho! Bom domingo!
Ana

domingo, 19 fevereiro, 2017  
Blogger manuela barroso disse...

Ah , as palavras que tanto golpeiam como são doces instrumentos que apaziguam fluindo na água do pensamento ! Mas tantas vezes impotentes , engasgando o raciocínio!
Maravilhoso , Pi
Beijinho !

segunda-feira, 20 fevereiro, 2017  
Blogger Graça Pires disse...

A emotividade da voz. Um grito do peito que explode na folha como se fora fogo posto...
Um belíssimo poema, Piedade.
Uma boa semana.
Um beijo.

segunda-feira, 20 fevereiro, 2017  
Blogger O Árabe disse...

Boa semana, Piedade; aguardo o próximo post!

segunda-feira, 20 fevereiro, 2017  
Blogger Nequéren Reis disse...

Que maximo arrasou bela mensagem, tenha uma semana abençoada, obrigado pela visita.
Blog: https://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br/
Canal:https://www.youtube.com/watch?v=DmO8csZDARM

segunda-feira, 20 fevereiro, 2017  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial