terça-feira, 10 de janeiro de 2017

areias

   

Areias na minha mão
que a onda molha e beija
em vão
como se não fosse o tempo
ou o vento em contra mão.

E a brisa que rente
à cara
fustiga como se vento
fosse castigando
quem se sente pecador ou não.

Abro as mãos e a areia molhada
cai abrupta na dança
que entrelacei nos dedos
desprotegidos da sensação
e da ilusão, dançando no chão.

E fica o perfume do mar
que nas narinas se prende
na quimera de saber ser aroma ou não
melodia sem pauta
sem cifras sem sequer ser canção.

Areias na minha mão
agora, apenas  vestígios são
e ficam deitadas na praia
espalhadas e sossegadas
esperando o beijo do mar ou não…

©Piedade Araújo Sol 2017-01-10

22 Comentários:

Blogger Cidália Ferreira disse...

Lindo! Amei.

Beijinhos
Tenho poema

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

terça-feira, 10 janeiro, 2017  
Blogger Os olhares da Gracinha! disse...

Piedade é uma conjugação perfeita!!!
Adorei...bj

terça-feira, 10 janeiro, 2017  
Blogger Teresa Durães disse...

Um poema lindíssimo!

terça-feira, 10 janeiro, 2017  
Blogger Pedro Luso disse...

Olá Piedade.
Achei o seu Areias um poema belíssimo.
Um poema paraser lido mais de uma vez. Parabéns.
Abraços.
Pedro.

terça-feira, 10 janeiro, 2017  
Blogger Marta Vinhais disse...

O mar beija sempre a areia da praia...
Declara-se em cada onda num poema escrito com a alma....
Lindo...
Beijos e abraços
Marta

terça-feira, 10 janeiro, 2017  
Blogger Elvira Carvalho disse...

Lindíssimo. Gostei muito.
Um abraço

terça-feira, 10 janeiro, 2017  
Blogger Luis Eme disse...

Areias e perfumes salgados, Piedade...

abraço

terça-feira, 10 janeiro, 2017  
Blogger Érika Oliveira disse...

Que lindo. Acabei de vir da praia e me deparo com essa bela associação. Beijos minha querida!!

quarta-feira, 11 janeiro, 2017  
Blogger Graça Pires disse...

Um poema cheio de ritmo e musicalidade. Apetece bailar na areia...
Belíssima a fotografia!
Um beijo, Piedade

quarta-feira, 11 janeiro, 2017  
Blogger Agostinho disse...

Li ontem, comento hoje.
Queixas-te tu da motivação?
Piedade, tens aqui um poema de encantamento. Tens a veia no ritmo certo e o som silábico sem as asperezas
de consoantes que apunhalem a canção.
Digo, tens dois!

Pego num verso em movimento lento,
como se fosse em câmara lenta e
"abro as mãos e a areia molhada"
moldada nas palmas transfigurada
é escultura única parece aos olhos
que dança um embalo louro de Sol.

Bj

quarta-feira, 11 janeiro, 2017  
Blogger Majo Dutra disse...

~~~
Uma imagética em temas e aromas em tons de maresia...
Versos cadenciados e sonantes criam o ritmo semelhante a um canto
que combina perfeitamente com a foto singular e perfeita...
Belo...
Bj
~

quinta-feira, 12 janeiro, 2017  
Blogger alp disse...

preciosa imagen..feliz año..un saludo desde Murcia.

quinta-feira, 12 janeiro, 2017  
Blogger Ana Freire disse...

Uma dupla maravilha... a imagem e as palavras... para apreciar e reapreciar... também ao som desta musica encantadora...
Incrível trabalho, Piedade!
Beijinhos
Ana

quinta-feira, 12 janeiro, 2017  
Blogger Manuel Veiga disse...

poema balanceado, como ondas a bater na areia.

pois bem se sabe que "há mar e mar..."

beijo

sexta-feira, 13 janeiro, 2017  
Blogger Laura Ferreira disse...

adoro as tuas imagens, Piedade.
Dizem-me anta coisa!

sexta-feira, 13 janeiro, 2017  
Blogger Mar Arável disse...

Areias por entre os dedos
nas mãos do mar

Bjs


sexta-feira, 13 janeiro, 2017  
Blogger Sofia disse...

Poema encantador... e a imagem belíssima.

Beijinho.

sábado, 14 janeiro, 2017  
Blogger Cristina Cebola disse...

Gostei de voltar a entrar neste teu mar...

Bela conjugação da imagem , com as areias que te caem da mão.


Beijinhos e bom fim de semana.

domingo, 15 janeiro, 2017  
Blogger Jaime Portela disse...

Duas obras de arte: a foto e o poema.
Parabéns por ambos os talentos que possuis, onde a sensibilidade é o traço comum.
Bom resto de domingo e boa semana, querida amiga Piedade.
Beijo.

domingo, 15 janeiro, 2017  
Blogger Anabela Jardim disse...

O mar que nos acalma é um presente de Deus. O pacote é completo: o som das águas acalmam, o areia desestressa quando caminhamos sobre ela, a brisa nos acaricia e refreca nossa alma. Boa semana poeta!

domingo, 15 janeiro, 2017  
Blogger Manuel Luis disse...

Uma harmonia entre a areia e o mar o teu olhar para testemunhar.
Bjs

domingo, 15 janeiro, 2017  
Blogger AC disse...

No movimento cadenciado se vão conjugando, em discreta e delicada sinfonia, leves despertares de tanta coisa submersa...

Um beijinho, Piedade :)

quarta-feira, 18 janeiro, 2017  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial