terça-feira, 13 de setembro de 2016

desfilas sonhos

Saul Landell

Desfilas sonhos…entrelaças palavras
rendilhas memórias
e ficas no silêncio que semeias.

Sem querer é a tua sombra
ou o reflexo do que ainda é
ou foi, ou será.

Já nem sabes, nem queres saber
por vezes sabem a sal o declínio
dos sonhos, sonhados.

Mas o sol espreita,
e  em cada sonho que perece,
há sempre outro a renascer.

Desfilas como grãos de areia,
num deserto, sem oásis
de acasos e ocasos.

©Piedade Araújo Sol  2016-09-13

21 Comentários:

Blogger Cidália Ferreira disse...

Lindo, como sempre.

beijos
http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

terça-feira, 13 setembro, 2016  
Blogger VENTANA DE FOTO disse...

Tus últimas imágenes son muy imaginativas y con espléndidas tonalidades.

Besos

terça-feira, 13 setembro, 2016  
Blogger © Piedade Araújo Sol disse...

Ventana de Foto, querida amiga, el poema y todos los textos de este blog son mías, pero esta fotografía no es mía, sino de Saul Landell fotógrafo admiro mucho ... gracias por su visita! :)

terça-feira, 13 setembro, 2016  
Blogger Agostinho disse...

Entreteces nós a cada três
versos bordados como os vês
"e ficas no silêncio que semeias"
Sol à espreita do sonho.

Defines a luminosa linha
da fronteira madrinha
a cada três como a vês.

Gostei, Piedade.

terça-feira, 13 setembro, 2016  
Blogger Os olhares da Gracinha! disse...

Preciso voar e renascer...também!
gostei...bj

terça-feira, 13 setembro, 2016  
Blogger Monica Almeida disse...

Lindíssimo poema,ficou maravilhoso!! Obrigada pela visita lá no meu blogue e podes ter a certeza que eu sou bem feliz com estas duas mulheres fantásticas do meu lado,adoro-as imenso!! Muito obrigada pelos votos de boa semana!!

terça-feira, 13 setembro, 2016  
Blogger Marta Vinhais disse...

Há sempre o Sol nos silêncios, nos sonhos...
Mesmo que se pense que se está num deserto...
Lindo...
Beijos e abraços
Marta

terça-feira, 13 setembro, 2016  
Blogger luisa disse...

Muitas vezes também não sei, nem quero saber, se me perco (desfilo) nos sonhos. :)

terça-feira, 13 setembro, 2016  
Blogger Rogerio G. V. Pereira disse...

És tu o Sol que espreita
e quase assegura
que "em cada sonho que perece,
há sempre outro a renascer"

desfilemos sonhos
e que os renascem sejam melhor que os outros

terça-feira, 13 setembro, 2016  
Blogger Majo Dutra disse...

Um tema vital.
Sem sonhos soçobramos à dura realidade...
E precisamos de os reformular ou de os substituir com celeridade.
Quando se caminha num deserto, urge encontrar oásis revigorantes.
Apreciei sobremaneira a composição, estilo e lirismo deste poema.
Muito belo e acalentador...
~~~ Beijinhos, Poeta ~~~

quarta-feira, 14 setembro, 2016  
Blogger Jorge Lynce disse...

Fantástica esta tua forma de escrever...pode ser simples, mas com muito conteúdo.

Um beijo!

quarta-feira, 14 setembro, 2016  
Blogger José Carlos Sant Anna disse...

Translação em torno dos sonhos. Dicção perfeita.
Beijo, poeta!

quarta-feira, 14 setembro, 2016  
Blogger Suzete Brainer disse...

Este seu belo poema traz uma mensagem tão essencial
à vida, que é: os sonhos existem para quem quer sonhar,
sonhar é um meio de renascer, querida poeta!...

Apreciei muito, Piedade.
beijinho.

quinta-feira, 15 setembro, 2016  
Blogger Manuel Veiga disse...

não deve maior castigo (ou anátema) que "desfilar como grãos de areia no deserto"!

de uma força expressiva empolgante.
por mim vale todo o poema - aliás todo ele belo.

beijo

quinta-feira, 15 setembro, 2016  
Blogger Jaime Portela disse...

Os sonhos comandam a vida... por isso, ainda bem que eles desfilam...
Magnífico poema, como sempre.
Piedade, tem uma boa semana.
Beijo.

sexta-feira, 16 setembro, 2016  
Blogger Mar Arável disse...

... e assim ... é possível agarrar o vento

Bj

sexta-feira, 16 setembro, 2016  
Blogger oteudoceolhar disse...

...de que será feita a vida senão de acasos e acasos ...
Por vezes nem sei ... Sei que habito alma e coração além do aqui além bem além... lá no Mar!!^
Belo...
Beijo n´oteudoceolhar *

sábado, 17 setembro, 2016  
Blogger Graça Pires disse...

Um deserto sem oásis de acasos e oásis"... Como se a poeta aprisionasse a sede por dentro dos sonhos...
Um belo poema, Piedade.
Uma boa semana.
Beijos.

segunda-feira, 19 setembro, 2016  
Blogger O Árabe disse...

Desfilar sonhos... como bem fazes, através de teus belos textos! Boa semana, Piedade.

segunda-feira, 19 setembro, 2016  
Blogger ANNA disse...

Gracias por pasar por el blog tuve un error y se me borraron todos los comentarios que habia en algunas entradas que mal verdad.
‌Si sento si en alguna no te respondo por lo que ya te comentado.

Me gusta mucho el tuyo.

http://anna-historias.blogspot.com.es/2016/09/muerte.html?m=1

segunda-feira, 26 setembro, 2016  
Blogger Ana Freire disse...

E entre os ocasos e os acasos... o sol espreita... e há sempre uma vontade de recomeçar... vale a pena continuar sempre a sonhar...
Um belíssimo trabalho... impregnado de palavras... que desfilam sementes de esperança...
Adorei! Pedindo desculpa pelo meu atraso nos comentários... uns dias mais ocupados... combinados com o uso limitado de Net aqui na Ericeira... com alguns contratempos pelo meio... a semana passada a minha lista de blogues favoritos desapareceu... têmo-la vindo a repor aos poucos... coisas do Blogger... também aconteceu a mais alguns blogues... não a todos... não entendi qual o critério, mas fui uma das brindadas com este aborrecimento, que me transtornou um pouco os comentários deixados nos blogues, por estes dias...
Beijinhos
Ana

terça-feira, 11 outubro, 2016  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial