terça-feira, 26 de julho de 2016

hoje encontrei um olhar

Eric Roux Fontaine

hoje encontrei um olhar
a desenhar raios de sol
com o reflexo ainda nas mãos,
pensei que talvez fosse
um pintor de abstractos
em completa inspiração.
não era!
era a imagem do instante
em que os dedos
insurrectos,
escrevinharam velozmente
no guardanapo de papel
rabiscos que formaram palavras.
era um poeta!
©Piedade Araújo Sol  2016-07-26

25 Comentários:

Blogger Agostinho disse...

Aqui temos um instantâneo estival que suscita reflexo verbal espontâneo: com a verdade me enganas!
Não estou a diminuir a poetisa..., antes o contrário, pois até Pessoa se confessou.
Se a(o) fotógrafa(o) não dispensa a câmera para fixar jogos de luz e sombra que lhe invadem o olhar, a(o) poeta guarda a efemeridade dos sonhos em hieroglifos, os sons da palavra, num circunstancial guardanapo.

Bj.

terça-feira, 26 julho, 2016  
Blogger AC disse...

A Piedade vive a poesia por inteiro. Ainda bem. Nós, os que a lemos, ficamos-lhe gratos.

Um beijinho :)

terça-feira, 26 julho, 2016  
Blogger O Árabe disse...

Belo poema e bela imagem por ele criada, Piedade! Assim é o poeta, talvez: um olhar diferente, sobre todas as coisas. Boa semana!

terça-feira, 26 julho, 2016  
Blogger Suzete Brainer disse...

Belíssimo!!!

Um poeta no olhar inscrito da
poeta que fez uma obra de arte
com as suas palavras.

Parabéns, Piedade!
beijo.

terça-feira, 26 julho, 2016  
Blogger Ana Freire disse...

E as palavras dos poetas, são uma permanente e inspiradora fonte de luz...
Um belíssimo olhar, Piedade, sobre o que será um verdadeiro poeta... alguém que nos ilumina a alma, com as suas palavras...
Beijinhos! Boa semana!
Ana

terça-feira, 26 julho, 2016  
Blogger Majo Dutra disse...

~~~
S u b l i m e!

Simplesmente...

Beijinho, Poeta.
~~~~~~~~~~~~

terça-feira, 26 julho, 2016  
Blogger heretico disse...

como poeta se deve sentir gratificado (esteticamente) por sua poesia ser "matéria poética", celebrada em tão belo poema.

gostei muito.

beijo

terça-feira, 26 julho, 2016  
Blogger Rogerio G. V. Pereira disse...

Ocorreu-me
um jantar solitário

Enquanto aguardava a conta
ia garatujando
num guardanapo, de ponta a ponta

garatujava e riscava
garatujava e riscava
e sai
deixando o guardanapo
riscado

Já ia distante
quando a rapariga me alcançou
e de guardanapo em riste
me disse

Tome, esqueceu-se disto
li
a acho o poema muito bonito

já não sei que é feito
do guardanapo
mas ainda guardo, inteiro
aquele sorriso

quarta-feira, 27 julho, 2016  
Blogger Fábio Murilo disse...

Muito bom! Belíssima construção. Adorei, Sol.

quarta-feira, 27 julho, 2016  
Blogger Cidália Ferreira disse...

Encantador poema, como sempre.

Beijo

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

quarta-feira, 27 julho, 2016  
Blogger Marta Vinhais disse...

Em palavras que duram uma eternidade...
Que lindo....
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

quarta-feira, 27 julho, 2016  
Blogger (CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

S E N S A C I O N A L!!! Os olhos do poeta irradiando sol... isso fala tudo. Lindo demais.

quinta-feira, 28 julho, 2016  
Blogger Benno disse...

pintor, compositor, ator ou poeta
não importa o que por trás ele arquiteta
pois finge que finge o que é ser ou não quer ser
e o que se tinha, ou que se tem
ou que se quer ou não quer ter
e neste momentâneo e etéreo fingimento
a hipocrisia desaparece e resta só o sentimento


quinta-feira, 28 julho, 2016  
Blogger Sinval Santos da Silveira disse...

Oi, Piedade Araujo Sol !
O poeta é assim mesmo...
Destila seus versos nas superfícies mais inesperadas. Lindo texto,
amiga. Parabéns.
Um carinhoso abraço, aqui
do Brasil.
Sinval.

sexta-feira, 29 julho, 2016  
Blogger Jaime Portela disse...

Há poetas assim...
Excelente poema, minha amiga, tal como a foto que escolheste.
Piedade, tem um bom fim de semana.
Beijo.

sábado, 30 julho, 2016  
Blogger Fê blue bird disse...

Um poeta tem sempre o sol nas mãos .

Tão lindo!

beijinho até Setembro!

sábado, 30 julho, 2016  
Blogger Manuel Luis disse...

Está tudo aqui! Enviei-te uns reflexos.
Bjs

domingo, 31 julho, 2016  
Blogger Teresa Durães disse...

um poeta resguardado no seu silêncio!

segunda-feira, 01 agosto, 2016  
Blogger Graça Pires disse...

Era um poeta e em seu olhar havia um muro branco onde podíamos escrever o nosso nome...
Um poema excelente, Piedade minha amiga.
Boa semana. Beijos.

segunda-feira, 01 agosto, 2016  
Blogger O Árabe disse...

Boa semana, Piedade. Aguardo o próximo post!

segunda-feira, 01 agosto, 2016  
Blogger São disse...

Quem escreve poesia é sempre um raio de luz...

Beijinhos :)

segunda-feira, 01 agosto, 2016  
Blogger Dri Andrade disse...

O que seria da vida sem os poetas, não??? Amei seus poemas e seu blog, Piedade, pena que não encontrei onde seguir!
beijos

quarta-feira, 03 agosto, 2016  
Blogger Toninho disse...

O olhar do poeta é sempre bem mais além do cabível, vê o incontido.
Lindo amiga, aplausos.
Bjs de paz.

quarta-feira, 03 agosto, 2016  
Blogger artista sem pena disse...

Sempre o poeta!

segunda-feira, 08 agosto, 2016  
Blogger ANNA disse...

Te dejo mi blog de poesia por si quieres criticar gracias.
Me gusta mucho el tuyo.
http://anna-historias.blogspot.com.es

terça-feira, 09 agosto, 2016  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial