terça-feira, 17 de maio de 2016

Cortinas da noite



Como hão-de os poetas
deambular nas veredas da noite
se cerrados em altos muros?
Hajota

Descerramos as cortinas da noite e,  no negrume,
ensaiamos os passos descontrolados dum destino indesvendável
descerramos asas imaginárias em nossos voos.

Envolvemos os vocábulos nas sombras
que nos flagelavam os sonhos
chamuscados na corrosão do sal e da maresia.

E lançamos palavras soltas
enlaçadas de sentires desconexos
e, agitados,vamos na insustentável leveza do vento…

©Piedade Araújo Sol  2016-05-16

22 Comentários:

Blogger Cidália Ferreira disse...

Poema maravilhoso. Identifiquei-me!

Beijo, e um excelente dia.

Coisas de Uma Vida 172

terça-feira, 17 maio, 2016  
Blogger Luis Eme disse...

O vento dá-nos asas, sim, muitas vezes...

abraço Piedade

terça-feira, 17 maio, 2016  
Blogger Mar Arável disse...

Por vezes basta um sopro
para as palavras voarem

Bj

terça-feira, 17 maio, 2016  
Blogger Marta Vinhais disse...

E seguimos o vento, escrevendo no arco-íris as histórias da noite e dos sonhos...
Lindo...
Beijos e abraços
Marta

terça-feira, 17 maio, 2016  
Blogger Acordar Sonhando . SOL da Esteva disse...

Abrir cortinas e deixar-se embalar, docemente, na maresia e aragem dos sonhos.
Muito belo, Amiga.
Parabéns.

Beijo
SOL

terça-feira, 17 maio, 2016  
Blogger Pedro Luso disse...

Parabéns, Piedade, pelo belo poema.
Uma boa semana.
Abraços.

terça-feira, 17 maio, 2016  
Blogger Majo disse...

~~~
Para os poetas é sempre possível
deambular nas veredas da noite, ainda que densa...

Do negrume da noite com aroma a maresia
surgiu este poema, como pérola belíssima e brilhante!

~~~ Beijinhos, Poeta amiga. ~~~
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

terça-feira, 17 maio, 2016  
Blogger Rogerio G. V. Pereira disse...

Triste sina
a minha
de andar atrás dos poetas
a tentar juntar as palavras soltas
a tentar enlaçar sentires
a tentar que resistam ao simples agitar de uma brisa

quarta-feira, 18 maio, 2016  
Blogger Zilani Célia disse...

OI PIEDADE!
A LEVEZA DO VENTO,QUE CARREGA NOSSOS SONHOS PARA TÃO LONGE, TORNANDO NOSSOS DIAS INSUSTENTÁVEIS.
QUE LINDO AMIGA,TUDO TÃO POÉTICO POR AQUI, QUE DÁ GOSTO LER.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

quarta-feira, 18 maio, 2016  
Blogger Elvira Carvalho disse...

Gostei deste cavalgar a imaginação nas asas do vento.
Um abraço

quinta-feira, 19 maio, 2016  
Blogger heretico disse...

quando nossas asas nos cansam, voamos nas asas do vento...

belo poema.

quinta-feira, 19 maio, 2016  
Blogger AC disse...

Romper (auto)amarras, ousar viver o desafio da poesia...
Muito belo, Piedade!

Um beijinho :)

sexta-feira, 20 maio, 2016  
Blogger Mário Margaride disse...

Belíssimo poema amiga PIEDADE!

Adorei!

Beijinhos e bom fim de semana!

sexta-feira, 20 maio, 2016  
Blogger Fábio Murilo disse...

Descreveu com maestria o ser poético, a inspiração, a ânsia de se perpetuar, de permanecer. Tudo poder. Muito bom, Sol. Beijos!

sexta-feira, 20 maio, 2016  
Blogger Ana Freire disse...

Dois talentos, hoje aqui reunidos... em que se sente a verdadeira essência da poesia, à flor das palavras... que são a pele dos poetas...
Dupla maravilha, de se apreciar, por aqui...
Beijinhos!
Ana

domingo, 22 maio, 2016  
Blogger Agostinho disse...

Por que palavras se soltam
as asas dos poetas
na força livre do vento?
Que os leva e e(n)leva ao cume?

A Piedade fê-lo aqui. Que cada ouse o (im)possível.
Pela minha infinitésima pena de voo, obrigado.

domingo, 22 maio, 2016  
Blogger Graça Pires disse...

O poeta rompe o círculo das sombras e ama o itinerário dos sonhos e do vento que solta as palavras e a luz.
Um belíssimo poema, Piedade, com uma belíssima epígrafe do Hajota.
Um beijo.

domingo, 22 maio, 2016  
Blogger Jaime Portela disse...

E nada segura o poeta...
Gostei imenso, excelente poema.
Boa semana, querida amiga Piedade.
Beijo.

domingo, 22 maio, 2016  
Blogger O Árabe disse...

A insustentável leveza do vento... o caminho colorido e efêmero por onde voam os nossos sonhos. Mais um belo post, Piedade; boa semana!

segunda-feira, 23 maio, 2016  
Blogger O Árabe disse...

A insustentável leveza do vento... o caminho colorido e efêmero, por onde voam os nossos sonhos. Mais um belo post, Piedade; boa semana!

segunda-feira, 23 maio, 2016  
Blogger manuela baptista disse...

quem tem asas, precisa sempre do vento


e do coração repleto de palavras


beijinhos, Piedade

segunda-feira, 23 maio, 2016  
Blogger ONG ALERTA disse...

Lindo!!!
Bjbj Lisette

terça-feira, 24 maio, 2016  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial