terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Prenúncio



Do poente que se adelgaça
Levam no olhar a magia
Desfalecendo no mar por entre as águas

Uma vez mais as palavras
Morrem-me na voz
E afogam os sonhos suicidários

Há sempre um prenúncio
De fogo e tempestade
No desassossego dos momentos

Como um ciclo, vão e voltam
Com as estações
Sempre renovadas


Foto: boobibob